MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
Delay: 15 min
Mercado

As recomendações de compra da Ágora: MOVI3, LCAM3, ECOR3 e RAIL3

Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo
  • No Brasil, esperamos que medidas de distanciamento social aumentem a demanda por contratos de aluguel mensais e anuais para empresas de aluguel de carros
  • O governo federal ainda precisa definir o período de reequilíbrio econômico, o que, a nosso ver, pode resultar em um pequeno aumento temporário nas tarifas de pedágio

Aluguel de Carros:

O diretor da Volkswagen, Jürgen Stackman, indicou que a população chinesa está evitando o transporte público após o surto de covid-19, o que é corroborado por dados que mostram que em meados de abril o tráfego rodoviário estava em 90% dos níveis anteriores à crise, enquanto o uso do metrô era de apenas 50%. As vendas de veículos da Volvo na China, por exemplo, aumentaram 20% em relação a 2019. Uma pesquisa recente da Auto Trader mostra que metade dos motoristas licenciados no Reino Unido que não possuem carro estão considerando comprar um. Enquanto isso, no Japão, o vendedor de carros usados viu os pedidos de seu produto de assinatura mensal dobrar nos últimos dois meses.

Nossa visão: No Brasil, esperamos que medidas de distanciamento social aumentem a demanda por contratos de aluguel mensais e anuais para empresas de aluguel de carros, pois uma maior desaceleração econômica em comparação com outras economias poderia levar as pessoas a evitar a aquisição de um carro novo. Mantemos nossa preferência por Movida (MOVI3 | recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 19,00) e Unidas (LCAM3 | Compra, preço-alvo de R$ 19,00).

Concessões:

O governo federal autorizou a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a reequilibrar o retorno econômico das concessões de rodovias com pedágio devido a perdas relacionadas à covid-19. Essas empresas perderam 30% de suas receitas com a pandemia. Por outro lado, transportadores e caminhoneiros estão reclamando que esses reequilíbrios não devem ser executados através do aumento da tarifa de pedágio, considerando que, em alguns casos, pode chegar a 30%.

Nossa visão: O governo federal ainda precisa definir o período de reequilíbrio econômico, o que, a nosso ver, pode resultar em um pequeno aumento temporário nas tarifas de pedágio. Mantemos a recomendação de Compra para CCR (CCRO3 | recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 15,00) e Ecorodovias (ECOR3| recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 14,00).

RUMO (RAIL3):

Os preços atraentes da soja estão incentivando os agricultores a acelerar a venda de suas safras de 2020 e 2021. Para o próximo ano, os agricultores já venderam 40% de sua produção devido aos preços atraentes. Um Real mais fraco e uma demanda crescente da China explicam esse cenário.

Nossa visão: Perspectivas positivas para o RUMO (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 24,00), dado o crescimento esperado do volume em 2021.

Companhias aéreas:

LATAM, GOL e Azul adicionarão 15 (aos 50 voos anteriores), 32 (aos 68 anteriores) e 53 (aos 115 anteriores) novos voos em junho. Além disso, a GOL e a Azul retomarão as operações no aeroporto no centro de São Paulo.

Nossa visão: A adição gradual de novos voos ajudará as companhias aéreas a reduzir a saída de caixa. Mantemos nossa preferência pela GOL (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 20,00) e Azul (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 19,00).

Companhias aéreas II:

Ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a proibição de viajantes não americanos que queiram entrar nos Estados Unidos e que estiveram no Brasil nas últimas duas semanas. A proibição entrará em vigor em 29 de maio e vem depois que o Brasil se tornou um dos países com mais infecções por covid-19. Argentina, Paraguai e Uruguai poderão anunciar medidas semelhantes em breve.

Nossa visão: Impacto negativo para o LATAM Airlines Group, a companhia local com maior presença em rotas que ligam o Brasil e os Estados Unidos. A Azul (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 19,00) também tinha voos para a Flórida e adiou o lançamento de voos para Nova York devido à covid-19. A GOL (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 20,00) tinha uma pequena operação para voar com uma escala na Flórida.

Agronegócio:

Um grupo de comércio de biocombustíveis dos EUA pediu ao governo Trump na sexta-feira que negue pedidos de refinarias que buscam isenções retroativas de mistura de biocombustíveis depois que uma autoridade do Departamento de Energia disse que o departamento revisará esses “preenchimentos”. Os refinadores procuram ser consistentes com uma decisão judicial no início deste ano que determinou que quaisquer isenções às leis de mistura de biocombustíveis concedidas a pequenas refinarias após 2010 tiveram que assumir a forma de uma “extensão”. A decisão do tribunal criou incerteza sobre o status do grande número de isenções que a Agência de Proteção Ambiental da administração Trump emitiu nos últimos anos, em que a maioria dos destinatários agora acredita-se que não esteja em conformidade com a decisão. As empresas de biocombustíveis se opõem às isenções, dizendo que prejudicam a demanda por seus produtos.

Nossa visão: Se o governo dos EUA conceder isenções a refinarias de mistura de biocombustíveis pode ser negativo para a demanda de etanol e, como resultado, também reduzir a demanda por milho (cerca de 40-50% do milho produzido nos EUA vai para a indústria de etanol de milho), o que poderia pressionar os preços dessas commodities. Isso suporta nossa recomendação Neutra para o produtor brasileiro de grãos SLC (preço-alvo de R$ 21,00) e para o player de Açúcar e Etanol São Martinho (preço-alvo de R$ 22,00).

Alimentos:

Embora a peste suína africana continue sendo uma séria ameaça à produção de suínos na China, o ministro da Agricultura, Han Changfu, disse na sexta-feira que o país não verá um grande aumento nos preços da carne suína. Ele indicou que a China não terá uma crise de fornecimento de grãos, acrescentou. A China, maior consumidor mundial de carne suína, importou um recorde de 400 mil toneladas em abril, +170% em relação ao ano anterior, mostraram dados alfandegários, já que os compradores aproveitaram os preços baixos para estocar carne. O aumento nos preços dos EUA provavelmente reduzirá as importações no próximo mês, enquanto os preços da carne suína chinesa ainda estão caindo com a fraca demanda doméstica. A China também trouxe 160 mil toneladas de carne bovina em abril, um aumento de 28% em relação ao ano anterior.

Nossa visão: Entendemos que a China está acelerando as compras de grãos para aumentar os  estoques, o que, entre outras coisas, mitigaria os riscos de interrupções na logística devido à covid-19 de impactar o fornecimento de ração animal para a produção de proteínas. Dito isso, continuamos vendo espaço para a China aumentar suas importações de proteínas ao longo de 2020, pois sua produção de carne suína deve cair 20% este ano devido ao ASF, o que beneficiaria nossa cobertura de proteínas. No setor, a JBS (recomendação de Compra, preço-alvo de R$ 28,00) é a nossa principal escolha, enquanto temos recomendações Neutras para a BRF (preço-alvo de R$ 22,00) e Marfrig (preço-alvo de R$ 10,00).

Alimentos II:

Na quarentena atual, a BRF vem expandindo sua presença nas seções de alimentos congelados dos supermercados com três opções em sua linha de macarrão e queijo no estilo americano. A mudança repentina para o consumo em casa aumentou a demanda por alimentos processados práticos, de acordo com Sidney Manzaro, vice-presidente da BRF. “As pessoas procuram mais alimentos congelados porque podem armazená-los e, portanto, saem de casa ainda menos”, afirma o executivo, que aponta o mesmo resultado em outros itens da categoria, como lasanha, hambúrguer e nuggets.

Nossa visão: Esta notícia sugere que parte das vendas mais fortes observadas recentemente para alimentos processados no Brasil (relatadas pela BRF e pela Seara da JBS em seus resultados do 1T20) continuarão à medida que os consumidores procurarem conveniência para o consumo doméstico no contexto da covid-19, especialmente aqueles que não são usados para cozinhar. No entanto, continuamos preocupados que parte desse desempenho mais forte no 1T20 possa ser explicada pelo carregamento da despensa em antecipação à quarentena de covid-19, onde podemos ver uma reversão nos resultados dos ganhos do 2T20 (por exemplo, os preços dos frangos caíram 14% em relação a igual período de 2019 até agora 2T20, enquanto aumentaram 12% na comparação anual no 1T20).

Saúde:

De acordo com os indicadores IQVIA, as vendas pelos canais digitais aumentaram aproximadamente 130% em abril em comparação com o mesmo mês do ano passado. Na comparação com março deste ano, o crescimento foi de 26%, totalizando 4,3 milhões de unidades. A maior contribuição para esse movimento veio de OTCs (produtos que não precisam de prescrição médica) e produtos da divisão de saúde do consumidor. Entre os itens mais populares no período estavam itens de higiene das mãos, termômetros, sabonetes, seringas e agulhas. Além disso, os números de abril apoiam as perspectivas de vendas gerais de R$ 11,5 bilhões para os varejistas farmacêuticos em maio, um aumento de 9% em relação a maio/19. Prevê-se que a OTC e a Saúde do Consumidor sejam as principais categorias responsáveis pelo resultado, com receita estimada de R$ 2,4 bilhões (aumento de 13% em relação a maio/19) e R$ 1,7 bilhões (aumento de 15% em relação a maio/19), respectivamente; essas categorias combinadas representam 36% do volume total.

Nossa visão: O segmento de drogarias no varejo foi resiliente durante a crise do Covid-19 e as vendas (especialmente via canais digitais) mostraram melhorias significativas. Embora esperemos um declínio nos medicamentos sujeitos a receita médica, os OTCs e os de Saúde do Consumidor devem compensar isso, enquanto os resultados das farmácias no varejo devem ser bastante fortes no próximo trimestre. Reforçamos nossa visão positiva sobre o segmento resiliente de drogarias e reiteramos nossa recomendação de Compra e um preço-alvo de R$ 33,00 para Panvel e uma recomendação Neutra e preço-alvo de R$ 110,00 para RD (Raia Drogasil).

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos