Mercado

Ibovespa hoje: Usiminas (USIM5), Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3) são os destaques negativos

O índice caiu 0,34%, aos 125.148,07 pontos, e com volume negociado de R$ 21,2 bilhões

Ibovespa hoje: Usiminas (USIM5), Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3) são os destaques negativos
Usiminas, em Ipatinga (MG). FOTO: SERGIO ROBERTO OLIVEIRA/ ESTADÃO
  • O Ibovespa caiu 0,34%, aos 125.148,07 pontos, e com volume negociado de R$ 21,2 bilhões
  • As três ações que mais desvalorizaram no dia foram Usiminas (USIM5), Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3)

Ibovespa hoje terminou o dia em baixa de 0,34%, aos 125.148,07 pontos, e com volume negociado de R$ 21,2 bilhões. Nesta terça-feira (23), a principal referência da B3 oscilou entre máxima a 125.825,70 pontos e mínima a 124.310,10 pontos.

O pregão foi negativo para ações de mineradoras e siderúrgicas, após o minério de ferro fechar em queda de 1,91% na Bolsa de Dalian, na China. As ações da Usiminas (USIM5) lideraram as perdas da sessão, após a decepção do mercado com o balanço do primeiro trimestre de 2024 da empresa.

Entre as principais baixas, estiveram ainda os papéis da Gerdau (GGBR4)Metalúrgica Gerdau (GOAU4)CSN Mineração (CMIN3) e CSN (CSNA3), com perdas de 3,92%, 2,96%, 2,69% e 2,50%, respectivamente.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

De acordo com Lucas Almeida, especialista em mercado de capitais e sócio da AVG Capital, os investidores também reagiram de forma negativa ao último Boletim Focus divulgado pelo Banco Central. “Os ajustes vieram com projeções pessimistas, alterando a expectativa da inflação dos próximos anos, o que deixou o mercado desanimado”, destaca. Para 2025, a expectativa de inflação passou de 3,56% para 3,60%, conforme é possível conferir nesta matéria.

Em Nova York, S&P 500, Dow Jones e Nasdaq subiram 1,2%, 0,69% e 1,59%, respectivamente. Os índices acionários americanos avançaram após o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto dos Estados Unidos vir abaixo do esperado pelo mercado.

O indicador, que engloba os setores industrial e de serviços, caiu de 52,1 em março para 50,9 em abril, atingindo o menor nível em quatro meses. O resultado contrariou a previsão de analistas consultados pela FactSet, que previam alta a 52,5.

Nesta terça-feira, o dólar recuou 0,74% frente ao real na sessão, atingindo R$ 5,1304. O euro, por sua vez, caiu 0,27%, sendo negociado a R$ 5,491 ao final do pregão.

As três ações que mais desvalorizaram no dia foram Usiminas (USIM5), Magazine Luiza (MGLU3) e Casas Bahia (BHIA3).

Usiminas (USIM5): -13,91%, R$ 9,1

As ações da Usiminas (USIM5) registraram a principal baixa do Ibovespa nesta terça e fecharam a sessão em queda de 13,91%, a R$ 9,1. O desempenho negativo ocorreu após a decepção do mercado com o balanço do primeiro trimestre de 2024 da empresa.

Publicidade

No período, a companhia registrou lucro líquido de R$ 36 milhões, queda de 93% em relação ao mesmo período de 2023 e recuo de 96% na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

A USIM5 está em baixa de 9,09% no mês. No ano, acumula uma desvalorização de 2,05%.

Magazine Luiza (MGLU3): -5,88%, R$ 1,44

Quem também sofreu foram os papéis do Magazine Luiza (MGLU3), que fecharam em baixa de 5,88%, cotados a R$ 1,44.

Na quarta-feira (24), a varejista deve discutir, em assembleia geral ordinária e extraordinária, a proposta de grupamento de ações na proporção de 10 para 1. A operação tem o intuito de reduzir a volatilidade dos papéis da varejista. Mais detalhes podem ser conferidos nesta matéria.

A MGLU3 está em baixa de 20% no mês. No ano, acumula uma desvalorização de 33,02%.

Casas Bahia (BHIA3): -4,48%, R$ 5,97

Entre os destaques negativos, também figuraram as ações da Casas Bahia (BHIA3), que terminaram o dia em desvalorização de 4,48%, sendo negociadas a R$ 5,97.

Segundo Almeida, da AVG Capital, os papéis foram impactados pelo aumento das expectativas de inflação para 2024 e 2025, conforme o último Boletim Focus. “Esse cenário eleva as taxas de juros futuras, aumentando o custo do capital, o que pode desestimular investimentos e aumentar os custos de dívida das empresas de varejo”, explica.

Publicidade

A BHIA3 está em baixa de 11,95% no mês. No ano, acumula uma desvalorização de 47,54%.

*Com Estadão Conteúdo

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos