EURO R$ 6,33 -1,46% MGLU3 R$ 7,62 +4,38% BBDC4 R$ 20,95 -1,18% DÓLAR R$ 5,62 -1,35% ITUB4 R$ 22,96 -1,25% PETR4 R$ 29,36 +1,63% ABEV3 R$ 16,10 +0,12% IBOVESPA 107.557,67 pts +0,65% GGBR4 R$ 28,95 +1,58% VALE3 R$ 76,33 +0,74%
EURO R$ 6,33 -1,46% MGLU3 R$ 7,62 +4,38% BBDC4 R$ 20,95 -1,18% DÓLAR R$ 5,62 -1,35% ITUB4 R$ 22,96 -1,25% PETR4 R$ 29,36 +1,63% ABEV3 R$ 16,10 +0,12% IBOVESPA 107.557,67 pts +0,65% GGBR4 R$ 28,95 +1,58% VALE3 R$ 76,33 +0,74%
Delay: 15 min
Mercado

Banco Inter revisa estimativas e projeta Ibovespa aos 142 mil pontos

O Ibovespa renovou sua máxima histórica no primeiro pregão de junho, aos 128.267,05 pontos

fachada do edifício do Banco Inter
(Foto: Inter/Divulgação)
  • Em documento publicado no dia 31 de maio, a área de research do Banco Inter diz que a Bolsa está barata
  • A casa diz que o setor de bancos está em um momento de reversão de tendência, iniciando sua recuperação, e que o setor de commodities é o grande protagonista do ano

Mesmo depois de o Ibovespa renovar sua máxima histórica na terça-feira (1), aos 128.267,05 pontos, o Inter Research acredita que ainda há espaço para mais crescimento e projeta o índice na faixa dos 142 mil pontos até o final de 2021.

“Ao observarmos os lucros estimados para 2021 das ações que compõem o Ibovespa, o múltiplo preço sobre lucro fica em 18,5x, abaixo dos 20x que estamos observando hoje. Isto significa que, com base na razão P/L, existe um retorno potencial de 8% para 2021, também otimista”, diz o relatório.

No documento publicado no dia 31 de maio, a área de research do Banco Inter (BIDI11) diz que a Bolsa está barata. “No curto prazo, vemos o setor de bancos em momento de reversão de tendência e iniciando recuperação, beneficiado pelo aumento das taxas de juros e reversão de PDD (Provisão para Devedores Duvidosos)”, afirma o texto.

Além dos bancos, a casa mantém o otimismo com as empresas de saúde que devem seguir se beneficiando do cenário mais favorável de exames e volta dos procedimentos eletivos.

Ainda assim, os analistas destacam o setor de commodities como o grande protagonista do ano, impulsionado principalmente pela retomada acelerada da economia global que aumenta a demanda por insumos e matérias-primas.

Essa busca por insumos tem contribuído para a elevação dos preços e, consequentemente, para os resultados das exportadoras. Entretanto, o Inter espera que esse aumento dos preços dê uma esfriada ao longo do ano.

“Acreditamos que empresas que operam no segmento de commodities metálicas sentirão em maior magnitude essa acomodação ou até de queda de preços, enquanto exportadoras de outros tipos de commodities, como celulose, por exemplo, devem seguir em cenário ainda otimista, em razão dos melhores fundamentos no setor”, diz o report.

 

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos