EURO R$ 6,38 -0,75% MGLU3 R$ 7,30 +3,55% BBDC4 R$ 21,20 +2,12% DÓLAR R$ 5,67 -0,51% ITUB4 R$ 23,25 +1,17% PETR4 R$ 28,89 +0,45% ABEV3 R$ 16,08 +0,50% IBOVESPA 106.858,87 pts +1,70% GGBR4 R$ 28,50 +2,33% VALE3 R$ 75,77 +5,43%
EURO R$ 6,38 -0,75% MGLU3 R$ 7,30 +3,55% BBDC4 R$ 21,20 +2,12% DÓLAR R$ 5,67 -0,51% ITUB4 R$ 23,25 +1,17% PETR4 R$ 28,89 +0,45% ABEV3 R$ 16,08 +0,50% IBOVESPA 106.858,87 pts +1,70% GGBR4 R$ 28,50 +2,33% VALE3 R$ 75,77 +5,43%
Delay: 15 min
Mercado

Itaúsa: veja o histórico de dividendos

Itaúsa chegou a distribuir 94% de seu lucro em dividendos, mas teve que diminuir remuneração a acionistas 

(Fonte: Shutterstock)
  • A distribuição de proventos e de Juros sobre o Capital Próprio da holding costuma ser robusta, o que atrai o interesse dos investidores
  • A política de remuneração aos acionistas da Itaúsa estabelece que, pelo menos, 25% do lucro líquido seja distribuído em forma de proventos
  • A Itaúsa também pode remunerar os seus acionistas com juros sobre o capital próprio (JCP). Em agosto, foram pagos R$ 798 milhões aos acionistas

(Por Aléxis Cerqueira Góis, especial para o E-Investidor) – A holding Itaúsa (ITSA3; ITSA4) tem como principal objetivo investir nos setores financeiro, bens de consumo, materiais de construção civil, saneamento, energia e infraestrutura, melhorando a performance das empresas em que tem participação para distribuir dividendos a seus investidores.

Atualmente, a companhia tem participação em empresas que vêm registrando resultado positivo nos últimos anos. A Itaúsa detém o controle de 38% do Itaú Unibanco (ITUB3; ITUB4), 38% da Xpart, 29% da Alpargatas (ALPA4), 40% da Duratex (DTEX3), 13% da Aegea Saneamentos, 49% da Copa Energia e 8% da NTS.

Dessa forma, a distribuição de proventos e de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) da holding costuma ser robusta, atraindo o interesse dos investidores. O papel costuma figurar na carteira de ações de dividendos recomendada pelas corretoras e a divulgação sobre a distribuição de seus resultados é bem aguardada pelo mercado.

Política de remuneração de acionistas da Itaúsa

Itaúsa realizou, em 2018, a maior distribuição de lucros da história entre os seus acionistas. (Fonte: Shutterstock/rafastockbr/Reprodução)

A política de remuneração aos acionistas da Itaúsa estabelece que, pelo menos 25% do lucro líquido apurado pela companhia em cada exercício deve ser distribuída em forma de proventos.

No entanto, a empresa sempre manteve um pagamento maior aos detentores de ações ordinárias ou preferenciais. Em 2018, por exemplo, a holding chegou a distribuir aos seus sócios 94% do lucro apurado no exercício. No período, a empresa registrou um resultado positivo de R$ 9,76 bilhões.

Como o pagamento da Itaúsa é realizado

A Itaúsa paga, no mínimo, R$ 0,02 por ação ordinária ou preferencial. Os dividendos são calculados, a cada três meses, de acordo com a posição acionária no último dia útil dos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro. Os recursos são depositados sempre no primeiro dia útil dos meses de abril, julho, outubro e janeiro.

Os dividendos não são tributados, uma vez que as deduções são feitas antecipadamente, quando a empresa apura seu lucro líquido. Se houver prejuízo durante o exercício, algo que ainda não aconteceu no histórico da empresa, não há a obrigatoriedade de distribuição de proventos.

Juros sobre capital próprio

A Itaúsa também pode remunerar seus acionistas, de forma alternativa, com juros sobre o capital próprio (JCP). Esse ativo é calculado a partir da aplicação da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) sobre o patrimônio líquido ajustado.

O cálculo pode considerar o desempenho da companhia no período corrente ou os lucros apresentados nos anos anteriores. Ele é realizado, geralmente, após a apuração dos resultados nos balanços findos em 30 de junho e 31 de dezembro.

Em agosto, a companhia pagou R$ 798 milhões em JCP para seus acionistas. A remuneração sofre uma incidência de 15% do Imposto de Renda (IR). O recurso foi pago no valor bruto de R$ 0,03734 por ação, porém, com a retenção na fonte do IR, o valor recebido pelos acionistas caiu para R$ 0,031739.

Outros tipos de remuneração da Itaúsa

A remuneração aos acionistas pode acontecer, ainda, na forma de bonificação em ações, mediante a capitalização de lucros ou reservas, ou pelo desdobramento das ações existentes. Essa prática, entre outros objetivos, visa aumentar a liquidez dos papéis da empresa a partir da redução do valor de cotação a um patamar mais atrativo de negociação na bolsa de valores.

Histórico de dividendos

Rendimento do pagamento de dividendos da Itaúsa chegou ao ponto mais alto em 2019, com 8,49% de DY. (Fonte: Shutterstock/Andrii Yalanskyi/Reprodução)

Nos últimos três anos, o Dividend Yield (DY), índice criado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em comparação ao preço de suas ações, da Itaúsa ficou entre 5,5% e 8,45%. Considerando apenas o intervalo de julho de 2020 a junho de 2021, o DY da empresa ficou em 2,7%, tendo como base o valor da ação no último dia do período.

A Itaúsa distribuiu R$ 8,4 bilhões em proventos relativos ao exercício de 2018, o maior volume já distribuído pela empresa. O DY ficou em 7,36% nesse período. Além dos pagamentos trimestrais, a empresa realizou um pagamento adicional de dividendos e três remunerações de JCP. No mesmo período, a empresa bonificou em 10% as ações preferenciais e aumentou seu capital, subscrevendo 0,023501435 ações a R$ 7,80 para cada ação em posse.

O ano seguinte teve um pagamento menor, de R$ 7,3 bilhões distribuídos aos acionistas, mas com DY maior, de 8,45%. A companhia realizou quatro remunerações trimestrais, dois dividendos adicionais e dois créditos relativos a JCP.

Durante o exercício de 2020, não houve pagamento de proventos em boa parte do ano por conta das restrições impostas pelo Banco Central às instituições financeiras em decorrência da pandemia. Ainda assim, a holding pagou R$ 1,7 bilhão líquido em dividendos aos investidores com participação acionária, o que representou um retorno de 5,5% sobre o valor das ações.

Confira o cronograma de pagamentos realizados desde 2018:

Tipo de RemuneraçãoPosição acionáriaPagamentoValorDividend Yield
JCP13/08/21

24/05/21

27/04/21

25/03/21

09/03/21

26/08/210,040,32%
Dividendo31/05/2101/07/210,020,17%
JCP24/05/2130/09/210,020,15%
JCP27/04/2130/09/210,020,18%
JCP25/03/2130/09/210,020,16%
JCP09/03/2130/09/210,020,13%
Dividendo26/02/2101/04/210,020,17%
JCP22/01/2112/03/210,020,17%
Dividendo15/08/1923/08/190,342,66%
Dividendo31/05/1901/07/190,020,16%
Dividendo28/02/1901/04/190,020,16%
JCP21/02/1907/03/190,312,29%
Dividendo21/02/1907/03/190,453,34%
JCP17/12/1807/03/190,010,07%
Dividendo30/11/1802/01/190,020,16%
Dividendo31/08/1801/10/180,020,16%
JCP17/08/1830/08/180,010,10%
Dividendo17/08/1830/08/180,22,00%
Dividendo30/05/1802/07/180,020,13%
Dividendo28/02/1802/04/180,020,11%
Dividendo22/02/1805/04/180,110,77%
Dividendo22/02/1805/04/180,191,29%
JCP22/02/1807/03/180,372,60%

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos