Mercado

Mercado hoje: inflação chinesa, estoque de petróleo nos EUA e dados de rodovias no Brasil são destaques desta sexta-feira

Agenda curta no mercado doméstico e no exterior pode estimular investidores a realizar lucros hoje

Mercado hoje: inflação chinesa, estoque de petróleo nos EUA e dados de rodovias no Brasil são destaques desta sexta-feira
Foto: Envato Elements

A poucos dias da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), cujos membros estão em período de silêncio, a China é que concentra as atenções nesta sexta-feira (9). Por lá, bancos comerciais estatais correram para tentar reanimar a economia após novos sinais de esfriamento do gigante asiático, passado o CPI de maio (taxa anual de inflação ao consumidor). Por isso, vale acompanhar os dados de poços de petróleo dos EUA.

No Brasil, os ativos domésticos voltam do feriado podendo se ajustarem ao bom humor externo da véspera, em meio a expectativas de manutenção dos juros pelo Fed na semana que vem.  Ao mesmo tempo, sinais de que o Banco do Povo da China, o banco central do país asiático, está prestes a indicar queda dos juros reforça o otimismo interno, que ainda tem sido respaldado na estimativa de recuo da Selic em breve.

Porém, renovados sinais de fraqueza, inclusive do gigante asiático, e a indicação de ajuste das bolsas americanas pode levar o Ibovespa para uma realização, depois de renovar o pico do ano, na quarta-feira, no nível dos 115 mil pontos, bem como o dólar. Na agenda de hoje, o índice de fluxo em estradas pedagiadas, da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) do mês passado.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

A despeito da forte valorização do minério de ferro em Dalian, na China, o petróleo sobe moderadamente, enquanto as bolsas europeias e os índices futuros de ações norte-americanos cedem perto da estabilidade, com a maioria adotando sinal de baixa. Os Treasuries também seguem sem direção. Na Rússia, o BC manteve a taxa de juros em 7,50%.

A agenda enxuta pode chamar Nova York para a realização, após a alta da véspera. As ações subiram o suficiente para Wall Street entrar em um novo bull market (períodos em que as cotações estão em alta por um tempo prolongado), em especial, com a recuperação do S&P 500. O índice subiu 0,6%, ficando 20% acima da mínima atingida em outubro do ano passado.

O otimismo ocorre na esteira de que o Fed manterá as taxas na faixa atual na próxima semana, após dados fracos de emprego. A expectativa de uma abertura morna em Wall Street se junta ao CPI menor do que o esperado da China, o que motivou seis bancos comerciais estatais chineses a cortarem suas taxas de depósito, abrindo caminho para redução do juro pelo banco central do país.

Agenda

O fluxo em estradas pedagiadas, indicador calculado pela Tendências em parceira com a Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias (ABCR) sai às 10 horas.

Nos EUA, será divulgado, às 14h, o número de poços de petróleo em operação no país e há ainda falas de membros do BCE.

*Com informação do Broadcast

Publicidade