EURO R$ 6,11 -0,12% DÓLAR R$ 5,04 -0,05% MGLU3 R$ 20,90 +1,51% ITUB4 R$ 32,64 +0,00% ABEV3 R$ 19,13 -1,80% IBOVESPA 130.091,08 pts -0,09% PETR4 R$ 29,00 +0,87% BBDC4 R$ 28,00 +0,29% GGBR4 R$ 31,82 -0,87% VALE3 R$ 111,70 -1,78%
EURO R$ 6,11 -0,12% DÓLAR R$ 5,04 -0,05% MGLU3 R$ 20,90 +1,51% ITUB4 R$ 32,64 +0,00% ABEV3 R$ 19,13 -1,80% IBOVESPA 130.091,08 pts -0,09% PETR4 R$ 29,00 +0,87% BBDC4 R$ 28,00 +0,29% GGBR4 R$ 31,82 -0,87% VALE3 R$ 111,70 -1,78%
Delay: 15 min
Mercado

Tudo o que você precisa saber sobre o Pix

Serviço está disponível para todos os brasileiros a partir desta segunda (16)

Imagem mostra em primeiro plano um QR Code em uma tela celular e, ao fundo, a logomarca do Pix
Pix: novo serviço de transferência move gigantes do mercado, como Visa e Mastercard. (Cris Faga/ Pagos)
  • Diferencial do produto é a gratuidade para pessoas físicas e a disponibilidade 24 horas por dia, sete dias da semana
  • Chaves Pix são o “endereço” da conta para onde o valor será transferido: podem ser CPF/CNPJ, e-mail, número do celular ou QR Code
  • Por se tratar de um serviço instantâneo, o Pix é irreversível, daí a necessidade de conferir com cuidado os dados do destinatário

Todos os brasileiros começam a ter acesso ao Pix, o novo serviço de pagamentos e transferências digitais do Banco Central (BC), a partir desta segunda-feira (16). O grande diferencial do produto é a sua gratuidade para pessoas físicas e a disponibilidade 24 horas por dia, durante os sete dias da semana (inclusive feriados), para transações instantâneas.

Concorrente de peso para o TED, DOC, dinheiro em espécie e cartão de débito, há mais de 600 instituições financeiras licenciadas para oferecer o produto. Até a última quinta-feira (12), foram cadastradas mais de 68 milhões de chaves Pix, segundo o BC.

Apesar da grande adesão, o serviço ainda gera dúvidas para muita gente. Por isso, o E-Investidor separou e explicou alguns dos principais questionamentos em relação ao Pix.

O que são as chaves Pix?

As chaves Pix são o “endereço” da conta para onde o valor será enviado. Elas são cadastradas e acessadas pelos aplicativos ou sites dos bancos, fintechs ou cooperativas de crédito.

Quatro tipos de chave podem ser cadastradas, todas com a mesma finalidade, a única diferença é o dado usado para a sua criação. Pode ser CPF/CNPJ, endereço de e-mail, número do telefone celular ou EVP (sequência alfanumérica de 32 dígitos, com a qual será possível criar um QR Code).

É possível criar mais do que quatro chaves, caso a pessoa tenha mais de um e-mail ou celular. Porém, cada chave funciona apenas para a conta para a qual foi criada. Por exemplo: se você cadastrar o seu CPF como chave da conta do banco X, o documento não poderá ser usado como chave do banco Y.


Se o cliente tem uma conta poupança e uma conta corrente na mesma instituição, é preciso cadastrar uma chave para cada uma delas. O mesmo raciocínio vale para quem é cliente pessoa física e pessoa jurídica – cada conta exige uma chave, ainda que elas estejam no mesmo banco.

As chaves podem ser excluídas a qualquer momento. É possível, ainda, a portabilidade da chave de uma instituição para outra.

Como realizar ou receber transferências/pagamentos com o Pix?

Com as chaves criadas, para fazer a transferência basta selecionar a opção Pix no site ou aplicativo da instituição financeira, inserir os dados da chave do destinatário e confirmar a operação, que será concluída em questão de segundos. Portanto, para receber um valor basta ceder a informação da chave da instituição para quem fará a transferência.

Já no caso dos QR Codes, é preciso ler o código com a câmera do celular para realizar a transferência. Para receber, é só permitir que leiam o seu código.

Cuidados com o Pix

Por se tratar de um serviço instantâneo, o Pix é irreversível. É muito importante ficar atento para não cair em fraudes na hora do cadastramento da chave ou na sua utilização.

Antes de tudo, é fundamental saber que as chaves só podem ser cadastradas diretamente no site ou aplicativo da instituição onde a pessoa tem conta. Não é preciso ceder qualquer informação além dos dados já citados para a criação da chave Pix.

Dessa forma, qualquer mensagem, e-mail ou ligação solicitando informações extras, e até mesmo direcionando o cliente para outro ambiente virtual a fim de realizar o processo, devem ser ignorados. Segundo a empresa de soluções em cibersegurança Kaspersky, mais de 30 domínios falsos com o termo “Pix” foram criados só no primeiro dia em que o cadastramento da chave foi liberado.

Já na hora de realizar a transação, sempre confira se o dado do destinatário está de acordo com o local ou pessoa. É recomendado ainda não comprar nada em sites desconhecidos, pois não há como contestar a transferência em caso de golpe.

Há limite no número de transações e valor?

O BC não estabeleceu qualquer limite, seja para o número de operações ou os valores envolvidos. Porém, nada impede que as instituições financeiras fixem um teto para o montante a ser transferido.

É possível agendar um Pix?

Sim, há a opção de agendar o Pix com valor definido para uma data futura. Mas a oferta desta operação também é uma decisão da instituição financeira.

Quanto o Pix custa para PJ?

No caso das pessoas jurídicas, a transferência poderá ser cobrada pela instituição financeira, que terá custos nesta modalidade. Mas o valor é de apenas R$ 0,01 a cada dez transações, o que já fez alguns bancos e fintechs passarem a oferecer gratuidade também para as PJs.

O Pix tem imposto?

Não há impostos para a utilização do Pix. Porém, caso seja aprovada a proposta de uma “CPMF Digital”, como queria o ministro da Economia, Paulo Guedes, o novo tributo poderá cobrar alíquota de cerca de 0,2% sobre as transações.

Pix na Black Friday?

É esperado um aumento expressivo no volume de transações digitais durante a Black Friday, no próximo dia 27, mas o Pix não deve ser muito utilizado na data. Isso porque o mercado ainda não está preparado para receber a tecnologia.

Alguns grandes e-commerces estão desistindo de oferecer o serviço com medo de a solução se tornar uma dor de cabeça aos consumidores: hackers, por exemplo, poderiam se aproveitar de falhas na segurança para benefício próprio.

Pix usa blockchain?

O Pix não usa blockchain – serviço de transação on-line descentralizado, voltado à movimentação de moedas digitais, como o Bitcoin.

Ao contrário destes sistemas, o novo produto do BC usa uma estrutura centralizada que permite a comunicação entre as instituições, o Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI).

O Pix funciona fora do Brasil?

A princípio não, mas o BC já estuda oferecer o serviço fora do País por volta de 2022 e 2023.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos