ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
Delay: 15 min

Sua viagem cabe no bolso

Formada em jornalismo, com especialização em mídias digitais pela Universidade da Califórnia, Berkeley, Valéria Bretas já passou pelos maiores veículos de comunicação do País e hoje é editora-chefe do E-Investidor. Ao longo de sua carreira, também aperfeiçoou técnicas de planejamento financeiro aplicadas em viagens.

Escreve mensalmente, aos sábados.

Instagram: @valeriabretas

Valéria Bretas

Portugal e Espanha abrem as fronteiras. Como economizar para viajar

Veja o que fazer antes do embarque e as dicas para driblar o euro alto e economizar na próxima viagem

Praias de Algarve, em Portugal (Foto: Valéria Bretas)
  • O mês de setembro começou trazendo boas notícias: Portugal e Espanha liberaram a entrada para os turistas brasileiros
  • Mas existe um fator que precisa entrar no seu radar: o real está entre as moedas que mais se desvalorizaram durante a pandemia, o que fez a cotação das moedas saltar exponencialmente no último ano. O Euro, cotado hoje a cerca de R$ 6,40, é a moeda utilizada nos dois países
  • Separei algumas dicas do que você pode fazer para economizar antes do embarque e outras para enxugar o orçamento da sua viagem para o exterior. Veja a seguir

Pouco a pouco, as restrições de viagens internacionais são flexibilizadas pelos governos, com os países iniciando um meticuloso processo de reabertura das fronteiras e liberando voos aos turistas brasileiros.

Ainda é difícil prever quando será possível carimbar o passaporte da mesma forma como fazíamos antes de março de 2020, mas o avanço da vacinação contra a covid-19 ao redor do mundo já traz boas perspectivas aos viajantes. No Brasil, 34,08% da população já está totalmente imunizada contra o vírus.

A curva de óbitos no País também está em queda, com uma média móvel semanal de mortes causadas pelo vírus de 468 pessoas, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa, em parceria com 27 secretarias de Saúde. Ainda assim, é importante ressaltar que estamos em situação epidêmica e todos os cuidados de saúde devem ser mantidos.

Países da Europa recebem brasileiros

O mês de setembro começou com boas notícias: depois de muita espera e postergações, Portugal liberou a entrada para os turistas brasileiros. Com cerca de 85% da população portuguesa já vacinada, o país decidiu não exigir o certificado de vacinação contra a covid-19 e não pede o cumprimento de quarentena na chegada.

Além de preencher um formulário antes da viagem, o único requisito para a entrada nas terras portuguesas é a apresentação de um exame PCR negativo realizado 75 horas antes do embarque ou antígeno negativo feito 48 horas antes. As crianças menores de 12 anos não precisam apresentar o exame.

Mas Portugal não é o primeiro país da Europa a flexibilizar a entrada dos turistas. Desde junho, outras nações liberaram os brasileiros 100% vacinados, mas o problema é que a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, está fora da lista de imunizantes aceitos em algumas nações.

Por ora, apenas Espanha e Suíça englobam a lista de destinos que aceitam todos os imunizantes aprovados pela União Europeia ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que também inclui a Coronavac. Nos dois países, o visitante está dispensando de apresentar exame PCR negativo e cumprir quarentena, mas precisa comprovar que foi totalmente vacinado – seja com as duas doses ou a com a dose única.

O preço atual das passagens áereas

A procura por voos na Espanha e Portugal explodiu nas primeiras 24 horas após o fim das restrições para brasileiros. Dados da Latam Airlines mostram que a busca por passagens para Madri cresceu 200% e 300% para Portugal.

“Esse número só comprova a grande demanda reprimida que temos para esse mercado e nos deixa ainda mais confiantes de voltarmos a operar os 26 destinos internacionais que tínhamos antes da pandemia”, diz Diogo Elias, diretor de vendas da Latam.

Em termos de valores, um ticket de ida e volta em classe econômica para Lisboa, em Portugal, sai a partir de R$ 2,7 mil pela Latam. Para Madri, na Espanha, as taxas caem um pouco e é possível encontrar bilhetes para o mês de novembro por R$ 2,2 mil pela companhia aérea, por exemplo.

Existe ainda um outro fator que precisa entrar no seu radar. O real está entre as moedas que mais se desvalorizaram durante a pandemia, o que fez a cotação das moedas saltar exponencialmente no último ano. O Euro, cotado hoje a cerca de R$ 6,40, é a moeda utilizada nos dois países.

Economizando antes do embarque

O planejamento financeiro de uma viagem nos dias de hoje é muito diferente e ainda mais relevante do que seria há um ou dois anos. Como o nosso dinheiro perdeu valor no mercado, as viagens internacionais custam muito mais caro agora e é por isso que é tão importante preparar um bom roteiro para conseguir lidar com essa nova realidade.

Mas antes de pensar em como adaptar os planos, deixo algumas reflexões para você, leitor:

1) Pegue um calendário e observe quantos meses você tem até a data do embarque;

2) Agora faça um levantamento das suas despesas fixas (como aluguel, condomínio e contas em geral) e o valor mensal que sobra para o lazer;

3) Feito isso, questione-se: que tipo de gastos extras eu consigo cortar até o dia da viagem? Será que trocar a pizza do fim de semana por uma comida caseira pode ajudar? E passar mais tempo de casa em vez de ir ao restaurante em todos os fins de semana? Você está realmente indo para a academia?  Estes são só alguns exemplos;

4) Enxugar excessos não significa abrir mão de tudo, mas equilibrar as despesas em prol do objetivo final, a sua viagem.

Como economizar para viajar para o exterior

Pela minha experiência, vale mais a pena começar a pesquisa de preços com bastante antecedência. Ter uma agenda flexível também vai te ajudar a garantir preços melhores, seja na passagem aérea, como na compra do euro e até na reserva das hospedagens.

Esse tempo a mais para o planejamento é fundamental para tudo. Vou te dar um exemplo. Você sabia que é possível visitar alguns museus de graça? Tanto em Lisboa, como em Madrid, há dias especiais durante a semana para não pagar pela entrada – o mesmo acontece com ingressos de teatros e outras atrações turísticas. Ou seja, um bom roteiro pode fazer você economizar alguns euros!

Leia também:6 contas no Instagram para economizar com hospedagens

Outra dica é trocar as viagens internas de avião pelo trem. Na Europa, ele é um ótimo meio de locomoção para trechos de curta e média distância. A vantagem é que você não precisa se preocupar com taxa extra de bagagem despachada, por exemplo.

Pensar em se locomover de transporte público em outro país pode parecer um bicho de sete cabeças, mas não é. E vou te contar mais sobre a minha experiência em Portugal. Em meados de 2019, estava de férias com uma amiga e decidimos alugar um veículo para fazer o trajeto de Lisboa até a cidade de Porto, cerca de 300 quilômetros de distância – o equivalente a três horas de viagem.

A locação em si não representa o maior custo, mas a quantidade de pedágios é além da expectativa. A cobrança variava de € 5 até € 20 por cada pedágio. Isso tudo sem contar o valor do combustível de ida e volta. Imagina!? Descobrimos depois que há tickets de ônibus executivo por cerca de € 10. Foi uma tristeza só. É evidente que há muitas vantagens nas viagens de carro, mas se a ideia é enxugar o orçamento, vale a pena considerar outras alternativas.

Vamos falar sobre as refeições. É muito gostoso explorar a gastronomia das mais diferentes regiões, sem dúvidas. Mas se você almoçar e jantar todos os dias em um restaurante diferente, isso com certeza vai ser um dos seus maiores gastos durante a trip.

Um bom meio termo é procurar hospedagens que ofereçam o café da manhã e equilibrar o roteiro de forma que seja possível fazer pelo menos uma refeição no seu quarto de hotel/hostel/pousada a cada dois dias. Pode não parecer muito, mas vai fazer toda a diferença no saldo final. Essas pequenas economias é que vão ajudar na hora de escolher um restaurante diferente para jantar ou fazer um passeio fora do comum, mas é você que vai avaliar o que vale mais a pena.

E falando em hospedagens, também é relevante considerar opções menos tradicionais, além dos hotéis. Há muitas pousadas, hostels e casas de aluguel que oferecem o mesmo conforto e qualidade, mas com preços mais competitivos.

Durante os cinco dias que passei pela Espanha, por exemplo, optei por um albergue que encontrei na plataforma Airbnb. A localização era excelente, além de uma decoração de arrancar suspiros – sem falar no preço que me convenceu logo de cara. Não deixe de dar uma olhada nos portais Hostel World e Airbnb.

Por fim, mas não menos importante, há uma dica de ouro: o seu cartão de crédito pode oferecer um seguro viagem. Antes de contratar uma apólice, procure a operadora do seu cartão e veja se o seu plano disponibiliza um plano para viagens internacionais. Normalmente, é necessário fazer um cadastro prévio e emitir o documento antes da viagem.

Feito isso, você está segurado por um período de 12 meses e tem as mesmas coberturas de um seguro tradicional, que inclui pagamento por bagagem extraviada e voos atrasados, por exemplo. Mas atenção: antes de tudo faça uma checagem dos valores de indenização de cada um desses itens e avalie se são suficientes para o seu perfil.

E aí, o que mais você faz para economizar nas suas viagens? O meu perfil no Instagram é @valeriabretas. Me conta lá as suas experiências!

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos