Tempo Real

BTG Pactual (BPAC11) revisa estimativas para B3 em 2024 e 2025; saiba mais

O banco observa que a B3 obteve volumes de negociação de ações e derivativos abaixo das expectativas

BTG Pactual (BPAC11) revisa estimativas para B3 em 2024 e 2025; saiba mais
B3 (Foto: Werther Santana/Estadão)

O BTG Pactual (BPAC11) revisou suas estimativas para a B3 em meio a um ambiente que o banco considera desafiador para a empresa com volumes mais baixos e fim de benefício fiscal. As estimativas de lucro por ação para o segundo semestre de 2023 e os anos de 2024 e 2025 foram reduzidas em 10%, 10%, e 17%, respectivamente.

Apesar das revisões para baixo, o banco manteve sua recomendação de compra para a ação da B3 estabeleceu um novo preço-alvo para o final de 2024 de R$ 14, o que representa um potencial de valorização de 33% em relação ao preço atual da ação.

Em relatório, os analistas Eduardo Rosman, Thiago Paúra e Ricardo Buchpiguel destacam que embora o momentum de curto prazo para a B3 não seja positivo, a ação ainda é negociada a múltiplos P/E (Preço/Lucro) relativamente atrativos, a 13,3 vezes e 13,4 vezes os esperados para 2024 e 2025, respectivamente. Além disso, a forte geração de fluxo de caixa da B3, os dividendos substanciais e as recompras de ações justificam a manutenção da recomendação de compra do BTG Pactual para a empresa.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Especificamente para o terceiro trimestre, o banco observa que a B3 enfrentou desafios, com volumes de negociação de ações e derivativos abaixo das expectativas. No entanto, alguns desses desafios foram parcialmente compensados por uma melhor mistura de produtos financeiros, incluindo o aumento dos derivativos de índice de ações, que são mais lucrativos do que as ações em espécie. Além disso, um aumento na negociação de derivativos de CDI (Certificado de Depósito Interbancário, uma taxa com lastro em operações realizadas entre instituições bancárias) de longo prazo resultou em um aumento na receita por contrato nas taxas de juros em reais.