Últimas notícias

Dividendos de empresas brasileiras caem 12%. Qual é o motivo?

A redução vai contra a tendência global, que avançou 12% no mesmo período

Dividendos de empresas brasileiras caem 12%. Qual é o motivo?
(Foto: Envato Elements)

Os dividendos pagos pelas empresas brasileiras não acompanharam a tendência global no primeiro trimestre deste ano. O mais recente relatório da Janus Henderson mostra que os acionistas locais receberam 12,2% a menos na comparação com o mesmo período do ano passado. A redução vai contra a tendência global, que avançou 12% no mesmo período.

O relatório mostra que os dividendos globais avançaram principalmente em razão do crescimento dos dividendos especiais, ou seja, aqueles que não são pagos de forma recorrente, podendo ser relacionados à venda de uma ativo da empresa, por exemplo. O total nominal atingiu recorde, ficando em US$ 326,7 bilhões.

A análise trimestral inclui as 1.200 maiores empresas do mundo por capitalização de mercado, que representam 90% dos dividendos distribuídos globalmente.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Por uma junção de fatores, com impacto significativo de cortes de Vale (VALE3), os pagamentos de empresas brasileiras totalizaram US$ 3,4 bilhões, contra US$ 3,9 bilhões no mesmo período do ano passado.

A Vale cortou o pagamento de US$ 1,8 bilhão em dividendos, sendo a maior redução de pagamentos para acionistas em todo o mundo.

A Janus Henderson observa, contudo, que a empresa brasileira está inserida em um contexto global de dificuldades. Os dividendos das mineradoras caíram um quinto na comparação entre os primeiros três meses de 2022 e 2023.

“Tendo sido o principal motor do crescimento global de dividendos em 2021, a queda dos preços das commodities a partir de meados de 2022 começou a fazer com que os grupos de mineração reduzissem o pagamento e continuassem com os cortes no primeiro trimestre”, explica trecho do relatório.