EURO R$ 6,20 +0,24% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% VALE3 R$ 86,15 -2,22% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% PETR4 R$ 24,93 -5,36%
EURO R$ 6,20 +0,24% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% VALE3 R$ 86,15 -2,22% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% PETR4 R$ 24,93 -5,36%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Lucro líquido da Neoenergia mais que dobra e atinge R$ 1 bi no 2º tri

O Ebitda da companhia avançou 108% no trimestre até junho, para 2,3 bilhões de reais

Edifício-sede da Neoenergia, no Rio de Janeiro (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
Edifício-sede da Neoenergia, no Rio de Janeiro (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

(Reuters) – O lucro líquido da elétrica Neoenergia atingiu 1 bilhão de reais no segundo trimestre de 2021, salto de 137% em relação a igual período do ano anterior, impulsionado pela recuperação do mercado após medidas mais rígidas para contenção da Covid-19, informou a empresa nesta terça-feira.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da companhia, controlada pela espanhola Iberdrola, avançou 108% no trimestre até junho, para 2,3 bilhões de reais.

A elétrica, que possui operações de geração, distribuição e transmissão, reportou ainda receita de 9,53 bilhões de reais no segundo trimestre, alta de 45% na comparação anual.

“Registramos resultados bastante consistentes”, disse em nota o CEO da empresa, Mario Ruiz-Tagle. “A performance da Neoenergia é reflexo da recuperação do mercado, após um período de maior isolamento, em função da pandemia de Covid-19”, acrescentou.

Ele chamou atenção para esforços em aspectos como o combate a perdas, citando especialmente as distribuidoras Coelba e Celpe, e afirmou que a arrecadação e a energia injetada também foram destaques no trimestre.

A Neoenergia ainda relatou investimentos (Capex) de 3,5 bilhão de reais no primeiro semestre do ano, alta de 51% ante mesmo período de 2020, puxados principalmente pelas áreas de transmissão e energias renováveis, “onde temos entregas importantes para este e o próximo ano”, segundo Ruiz-Tagle.

A companhia mencionou os avanços nas obras dos complexos eólicos Chafariz, na Paraíba, e Oitis, nos Estados de Bahia e Piauí. Enquanto o primeiro iniciou fase de testes com mais de 20 aerogeradores, o segundo tem entrada em operação prevista para 2022.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos