ITUB4 R$ 23,54 -4,25% MGLU3 R$ 12,42 +0,89% DÓLAR R$ 5,65 +0,00% EURO R$ 6,58 -0,01% BBDC4 R$ 20,45 -3,91% GGBR4 R$ 26,73 +0,72% IBOVESPA 106.296,18 pts -1,34% PETR4 R$ 27,18 -1,13% ABEV3 R$ 15,00 -1,39% VALE3 R$ 76,08 +1,05%
ITUB4 R$ 23,54 -4,25% MGLU3 R$ 12,42 +0,89% DÓLAR R$ 5,65 +0,00% EURO R$ 6,58 -0,01% BBDC4 R$ 20,45 -3,91% GGBR4 R$ 26,73 +0,72% IBOVESPA 106.296,18 pts -1,34% PETR4 R$ 27,18 -1,13% ABEV3 R$ 15,00 -1,39% VALE3 R$ 76,08 +1,05%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Metais: cobre fecha em baixa, com dólar fortalecido

  • Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para março caiu 0,60% a US$ 3,5245 a libra-peso

(Estadão Conteúdo) – Os contratos futuros de cobre fecharam em baixa nesta terça-feira, em parte pressionados pelo dólar fortalecido, o que torna o metal mais caro para detentores de outras divisas. Outro ponto é a produção no Chile, que teve o melhor mês de 2020 em dezembro, encerrando o ano menos afetada do que se esperava pela pandemia.

Esses fatores se sobrepuseram hoje a outros que levaram otimismo ao mercado, como as tratativas por um novo pacote fiscal nos Estados Unidos. Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para março caiu 0,60% a US$ 3,5245 a libra-peso. Já no pregão eletrônico da London Mercantile Exchange (LME), o cobre para três meses recuava 0,53%, a US$ 7.757,50 por tonelada, às 15h12 (de Brasília).

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística do Chile (INE), a produção de cobre no país diminuiu 8,7% em dezembro, com relação a igual período do ano anterior. “No entanto, este ainda foi o valor mensal mais alto alcançado em 2020. Além disso, uma quantidade quase recorde de cobre foi produzida em dezembro de 2019”, aponta o Commerzbank. Com 5,8 milhões de toneladas, a produção do ano como um todo foi apenas 0,7% inferior à do ano anterior, apesar das restrições relacionadas à pandemia, o que o banco alemão classifica como um “desafio da produção” chilena às dificuldades impostas pela doença.

Outro fator que pressionou hoje as cotações de cobre foi a alta do dólar no exterior. A moeda americana valorizada torna as commodities mais caras para detentores de outras divisas, reduzindo a demanda. Dentre outros metais básicos negociados na LME, no horário citado acima, a tonelada do alumínio subia 0,28%, a US$ 1.974,50; a do chumbo recuava 0,96%, a US$ 2.017,00; a do níquel caía 0,84%, a US$ 17.710,00; a do estanho cedia 0,66%, a US$ 22.950,00, e a do zinco operava estável em US$ 2.570,50.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos