MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
Delay: 15 min
Ana Paula Hornos, colunista do E-Investidor (Foto: Divulgação)

Mente sã em bolso são

Ana Paula Hornos é mediadora, palestrante e produtora de conteúdo sobre finanças e comportamento. Dedicada à psicologia, educação financeira e orientação profissional, com mais de 20 anos de experiência como executiva e empresária, trabalha assessorando pessoas na formulação e alcance de seus objetivos. Mestranda em psicologia e graduada em Engenharia, ambas pela USP, com MBA em finanças pelo Insper e especializações pela FGV e IMD, foi diretora de grandes empresas nacionais como o Grupo Pão de Açúcar e membro de Conselho de Administração da Essencis Ambiental. É autora da coleção ‘Educação Financeira e Valores’, de apoio didático escolar para educação financeira de crianças e adolescentes e do livro infanto-juvenil ‘Crise Financeira na Floresta’. Atualmente também professora na FGV-IDE e na Casa do Saber.

Escreve às segundas-feiras, a cada 15 dias.

Ana Paula Hornos

Qual é a fórmula para garantir o futuro dos filhos?

Devo fazer um investimento para garantir o futuro do meu filho? Qual a melhor opção? Quanto devo deixar?

educação_financeira_familia
Foto: Evanto Elements
  • "Uma pessoa muito rica deveria deixar para seus filhos o suficiente para eles fazerem qualquer coisa, mas não o suficiente para eles não fazerem nada." disse o megainvestidor Warren Buffett
  • Está ocorrendo um movimento de doações de fortunas de bilionários no exterior e estamos vendo um aumento de pedidos de testamentos com o advento da pandemia
  • Há também uma discussão sobre herdeiros não darem valor ao dinheiro e por isso perderem suas iniciativas

“Uma pessoa muito rica deveria deixar para seus filhos o suficiente para eles fazerem qualquer coisa, mas não o suficiente para eles não fazerem nada”, disse o megainvestidor Warren Buffett.

No final de setembro, uma declaração do apresentador super-rico da CNN Anderson Cooper ao podcast Morning Meeting reavivou a polêmica sobre deixar ou não fortuna aos herdeiros.

Está ocorrendo um movimento de doações de fortunas de bilionários no exterior e estamos vendo também um aumento de pedidos de testamentos com o advento da pandemia. O próprio Warren Buffett já doou metade de sua fortuna para fundações de impacto social.

Há uma discussão sobre herdeiros não darem valor ao dinheiro e por isso perderem suas iniciativas. Frase como “Filho de rico é playboy, filho de pobre é motoboy” traz a simbologia do dinheiro conseguido facilmente versus o dinheiro suado, mas talvez adquirido de forma pouco prazerosa.

Devo fazer um investimento para garantir o futuro do meu filho? Qual a melhor opção? Quanto devo deixar? Para responder a esta pergunta, gostaria de dar um passo atrás. Minha pergunta é: o que leva você a se preocupar com isso?

Posso afirmar, em minha experiência, que o erro na educação financeira dos filhos não está na classe social. Pais com muito ou pouco recurso podem igualmente errar ou acertar nesse caminho. A questão também não está no quanto se deixa aos filhos. Mesmo porque, se todos tiverem vida longa, o dinheiro de herança só seria usado pelos netos (como no caso da rainha Elizabeth e a provável sucessão do trono inglês).

No entanto, inserido na obsessão da preocupação em deixar ou não recursos, provavelmente existe o desejo de excesso de controle sobre a vida dos filhos, que desvirtua o foco do que realmente é importante deixar a eles; e, talvez, já esteja causando em si mesmo, danos suficientes.

Um filho bem-sucedido financeiramente precisa desenvolver autonomia, autoestima, senso de autoeficácia, amor pelo trabalho, por suas conquistas e autocontrole sobre decisões de longo prazo. Precisa entender por que e para que ele está no mundo, precisa adquirir um senso de propósito e transcendência naquilo que faz, na razão de existir, para poder alcançar sua autorrealização.

Para isso, ele precisa ser elogiado e compreendido. Precisa de apoio para identificar seus talentos e potencialidades (a maioria dos jovens com quem trabalho não consegue identificar no que são bons o bastante). Precisa tentar e errar por conta própria, ao longo de sua vida, desde a infância e ser incentivado a persistir.

Filhos criados assim serão capazes de tudo! De viverem no pouco ou no muito. De serem excelentes sucessores, ótimos administradores de possíveis heranças ou mesmo seguirem seus caminhos e construírem do zero.

Por isso, papai e mamãe, muito mais do que presente do Dia das Crianças ou de garantir o futuro financeiro de seus filhos, ou de privá-los de possíveis heranças, preocupem-se em valorizar os seres humanos únicos e incríveis que estão aqui no mundo, que precisam apenas de apoio, elogio, acolhimento, empatia e suporte para encontrarem seus próprios caminhos, nos quais possam brilhar e fazer a diferença nesta sociedade.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos