MGLU3 R$ 8,06 -7,36% DÓLAR R$ 5,61 +0,73% ITUB4 R$ 22,81 -1,89% EURO R$ 6,35 +1,77% BBDC4 R$ 20,42 -4,00% PETR4 R$ 28,47 -3,88% IBOVESPA 102.224,26 pts -3,39% GGBR4 R$ 25,55 -2,63% ABEV3 R$ 16,69 -3,13% VALE3 R$ 68,64 -2,64%
MGLU3 R$ 8,06 -7,36% DÓLAR R$ 5,61 +0,73% ITUB4 R$ 22,81 -1,89% EURO R$ 6,35 +1,77% BBDC4 R$ 20,42 -4,00% PETR4 R$ 28,47 -3,88% IBOVESPA 102.224,26 pts -3,39% GGBR4 R$ 25,55 -2,63% ABEV3 R$ 16,69 -3,13% VALE3 R$ 68,64 -2,64%
Delay: 15 min
Ana Paula Hornos, colunista do E-Investidor (Foto: Divulgação)

Mente sã em bolso são

Ana Paula Hornos é mediadora, palestrante e produtora de conteúdo sobre finanças e comportamento. Dedicada à psicologia, educação financeira e orientação profissional, com mais de 20 anos de experiência como executiva e empresária, trabalha assessorando pessoas na formulação e alcance de seus objetivos. Mestranda em psicologia e graduada em Engenharia, ambas pela USP, com MBA em finanças pelo Insper e especializações pela FGV e IMD, foi diretora de grandes empresas nacionais como o Grupo Pão de Açúcar e membro de Conselho de Administração da Essencis Ambiental. É autora da coleção ‘Educação Financeira e Valores’, de apoio didático escolar para educação financeira de crianças e adolescentes e do livro infanto-juvenil ‘Crise Financeira na Floresta’. Atualmente também professora na FGV-IDE e na Casa do Saber.

Escreve às segundas-feiras, a cada 15 dias.

Ana Paula Hornos

Sete erros financeiros gerados pela ansiedade

Trago aqui, como um alerta, sete erros financeiros que ansiosos podem cometer

O ansioso tem dificuldade de focar no aqui e agora. Como a satisfação está no futuro, naquilo que não se tem, costuma fazer dívidas. Foto: Envato Elements
  • A ansiedade pode ser benéfica, quando, por exemplo, funciona como prontidão para uma prova ou entrevista de emprego, de modo passageiro e adaptativo
  • Mas, quando constante e intensa, é um dos principais fatores que desequilibra a relação com o dinheiro

Segundo dados da OMS, a ansiedade é um dos maiores males do século XXI. O Brasil, mesmo antes da pandemia, já era considerado o líder mundial na taxa de pessoas com transtornos ansiosos. “Não importa o quanto tentamos, nunca estaremos em dia com o que aparentemente nos é oferecido”, diz Zygmunt Bauman, autor do livro “Modernidade Líquida”.

É um sentimento de desconforto por antecipação do perigo ou de expectativa futura que gera inquietação e pode ser acompanhada por tensão muscular, fadiga, sudorese, dores de cabeça, insônia, tontura e problemas de concentração.

No primeiro texto desta coluna, foi levantada a questão de como o investidor pode se proteger de uma crise de ansiedade, se a própria lógica do mercado financeiro, já é montada a partir da antecipação de resultados, quando se trata de precificar investimentos.

A ansiedade pode ser benéfica, quando, por exemplo, funciona como prontidão para uma prova ou entrevista de emprego, de modo passageiro e adaptativo. Mas, quando constante e intensa, é um dos principais fatores que desequilibra a relação com o dinheiro.

Trago aqui, como um alerta, sete erros financeiros que ansiosos podem cometer:

1) Perder oportunidades de trabalho ou desistir de sonhos

Um dos comportamentos mais prejudiciais e recorrentes que observo em meus atendimentos está em fugir ou evitar situações importantes, sonhos e oportunidades valiosas na vida pessoal e profissional, por avaliação desproporcional e superestimada das dificuldades, riscos ou perigos atrelados à conquista. Então, a pessoa cria para si, uma narrativa de desvalorização daquilo que desejava, por acreditar ser muito ameaçadora a trajetória.

2) Fugir do cuidado das próprias finanças

A pessoa evita olhar o saldo da conta, acompanhar o extrato bancário ou os gastos da fatura do cartão. Recusa-se a fazer orçamento e utiliza-se de contas mentais de auto engano para justificar seu descuido. Fica paralisada quando tem que lidar com sua organização financeira.

3) Buscar excessivamente controlar e nunca relaxar

A mente do indivíduo que precisa de controle opera sem parar e não oferece descanso. Independentemente da situação financeira, sempre haverá simulações mentais quanto a riscos, cenários possíveis, coisas a fazer para se proteger ou melhorar. A pessoa tem problemas com o sono, não é capaz de desfruta do lazer e nem de situações de relaxamento.

4) Tomar decisões erradas frente aos investimentos

A ansiedade pode levar o investidor a realizar rapidamente ganhos, vendendo suas ações de forma prematura ou a manter a posição frente a prejuízos, por muito tempo, por paralisia e aversão à perda.

5) Ser impulsivo quanto aos ganhos

A pessoa ansiosa faz escolhas imediatistas e renuncia a ganhos maiores e mais consistentes no longo prazo. Embarca na busca do “dinheiro rápido e fácil” e pode cair facilmente em promessas de enriquecimento e fórmulas mágicas golpistas. Assume riscos mal avaliados e toma decisões precipitadas.

6) Fazer dívidas por não conseguir esperar

O ansioso tem dificuldade de focar no aqui e agora. Como a satisfação está no futuro, naquilo que não se tem, costuma fazer dívidas para antecipar realizações.

7) Buscar compensação nas compulsões

Os sintomas da ansiedade são bastante indesejáveis e como compensação, muitas vezes são desencadeadas as compulsões, que momentaneamente, apaziguam os sintomas. Na vida financeira, podem ser várias, como compras compulsivas, consumismo financeiro e o trabalho em excesso.
Existem algumas dicas práticas para trabalhar a ansiedade como a rotina de atividade física, técnicas de relaxamento e o exercício da gratidão. No entanto, se você está percebendo que os sintomas descritos acontecem com frequência.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos