EURO R$ 6,26 +0,89% DÓLAR R$ 5,34 +0,96% ITUB4 R$ 27,19 -2,26% MGLU3 R$ 16,05 -3,14% ABEV3 R$ 15,61 -0,83% GGBR4 R$ 24,37 -0,93% IBOVESPA 108.843,74 pts -2,33% BBDC4 R$ 19,27 -3,75% PETR4 R$ 24,65 -1,12% VALE3 R$ 83,31 -3,30%
EURO R$ 6,26 +0,89% DÓLAR R$ 5,34 +0,96% ITUB4 R$ 27,19 -2,26% MGLU3 R$ 16,05 -3,14% ABEV3 R$ 15,61 -0,83% GGBR4 R$ 24,37 -0,93% IBOVESPA 108.843,74 pts -2,33% BBDC4 R$ 19,27 -3,75% PETR4 R$ 24,65 -1,12% VALE3 R$ 83,31 -3,30%
Delay: 15 min

Investimento não é cassino

Fabrizio Gueratto é especialista em investimentos, com mais de 15 anos de experiência, além de ser o apresentador e financista do Canal de YouTube 1Bilhão Educação Financeira, com mais de 300 mil inscritos e 12 milhões de visualizações em pouco mais de 1 ano de trabalho. Atualmente, com 36 anos de idade, Fabrizio é palestrante e autor do livro “De Endividado a Bilionário”.

Escreve às terças e quintas-feiras

Fabrizio Gueratto

Méliuz (CASH3) vai seguir os planos do Nubank?

Não se assuste se ver a empresa de cashback e descontos em breve em outros países

(Foto:Envato Elements)

Com as ações cotadas em R$ 74, a Méliuz (CASH3) tem gerado muitas perguntas nos investidores. Afinal, o preço está esticado? Por isso, os movimentos da companhia geram a seguinte pergunta: ainda vale a pena investir?

Em novembro do ano passado, a empresa de cashback e descontos fez o seu IPO (Oferta Pública Inicial) e levantou mais de R$ 629 milhões no processo, sendo R$ 344 milhões somente na oferta primária. Agora, com o follow-on, o valor captado pela companhia foi de R$ 1,16 bilhão.

Ações da Méliuz (CASH3) valorizaram mais de 700%

Desde o IPO, a companhia já realizou quatro aquisições, entre elas o banco digital, Acesso Bank. A Méliuz (CASH3) também adquiriu 51% da plataforma polonesa de descontos e códigos promocionais Picods, por R$ 120 milhões. Além dessas duas, a empresa já tinha adquirido a Promobit e o comparador de preço, Melhor Plano.

Com todas essas aquisições, o crescimento da empresa chegou a mais de 700% desde a abertura de capital.

Mesmo que os mais conservadores se sintam muito receosos, devido ao valor alto das ações, a visão é de que a empresa tem muito mais a evoluir, principalmente após os lançamentos de produtos financeiros, como o cartão de crédito Méliuz.

E parte desta visão se dá pelo seguinte fato: se antes a Méliuz (CASH3) levava o cliente por meio de seu serviço de cashback e descontos até as lojas, agora ela passará a monitorar todas as transações feitas através de sua plataforma. Dessa forma ela consegue se reafirmar como o maior marketplace de cashback do país.

Ainda vale a pena investir nas ações CASH3?

A situação da Méliuz (CASH3) não é simples. Eu mesmo tenho uma certa dificuldade de conseguir enxergar se a Méliuz ainda tem um grande potencial de subida ou está esticada, ou seja, se já está cara.

Hoje ela representa o maior marketplace de cashback e descontos que possuímos no Brasil. Assim como o Nubank, o modelo de negócio pode ser facilmente replicado em outros países, com seus devidos ajustes, claro.

Se a expansão internacional estiver nos planos da Méliuz, como provavelmente deve estar, pode esperar um foguete subindo mais que a nave do Jeff Bezos.

Leia mais sobre Méliuz (CASH3) e Assista ao vídeo exclusivo sobre a alta das ações:

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos