MGLU3 R$ 25,99 +1,96% DÓLAR R$ 5,47 +0,00% EURO R$ 6,66 +0,03% BBDC4 R$ 25,01 -1,84% IBOVESPA 117.380,49 pts -0,80% ITUB4 R$ 29,27 -2,14% PETR4 R$ 27,09 -1,67% ABEV3 R$ 15,15 -2,95% VALE3 R$ 93,17 -0,20% GGBR4 R$ 25,36 +1,36%
MGLU3 R$ 25,99 +1,96% DÓLAR R$ 5,47 +0,00% EURO R$ 6,66 +0,03% BBDC4 R$ 25,01 -1,84% IBOVESPA 117.380,49 pts -0,80% ITUB4 R$ 29,27 -2,14% PETR4 R$ 27,09 -1,67% ABEV3 R$ 15,15 -2,95% VALE3 R$ 93,17 -0,20% GGBR4 R$ 25,36 +1,36%
Delay: 15 min

Como controlar as emoções ao investir

Marcelo Biasoli é executivo do mercado financeiro com experiência em liderar áreas de Inovação, Estratégia, Desenvolvimento de Negócios e Marketing. Também é coach com conhecimento e paixão pelo desenvolvimento humano e neurociência aplicada aos negócios, combinando as competências de future thinking, criatividade e intraempreendedorismo para impulsionar investimentos e acelerar negócios.

Escreve mensalmente, às quartas-feiras

Marcelo Biasoli

4 tendências que vão impactar os seus investimentos em 2021

É chagado o momento de pensar nas oportunidades do próximo ano

Calendário 2021 | 2020 (Foto: Evanto Elements)
Calendário 2021 | 2020 (Foto: Evanto Elements)
  • Mudanças dos líderes e nas estratégias das empresas, expansão do segmento de saúde, novo perfil de consumo e diversificação de portfólio são as principais tendências para os investimentos e devem ser consideradas como oportunidades para o ano que vem
  • O ano de 2021 promete ser imprevisível, dadas as relações entre a pandemia, uma economia em recuperação por ciclos e a expectativa das pessoas de se adaptarem às mudanças

A certeza de que o futuro é incerto, imprevisível e caótico ficou evidente com o que presenciamos em 2020. A vulnerabilidade econômica e as fraquezas dos sistemas de saúde mundiais foram expostas para todo o mundo.

Ao mesmo tempo, proporcionou para as companhias, executivos e investidores oportunidades de reflexão sobre as estratégias empresariais, a importância da inovação e dos novos modelos de negócio e de como gerir um portfólio de investimentos em períodos de incerteza prolongada.

Alguns podem olhar para trás e pensar que poderiam ter feito mais e melhor durante o ano de 2020. O mais importante é aprender com essa experiência e descobrir como se preparar para um futuro de constantes mudanças, já que outros eventos deverão nos sacudir novamente.

Vale a pena avaliar se as estratégias e modelos de negócios atuais serão capazes de se adequar às circunstâncias no futuro. Não sabemos o que vem pela frente, mas o fato é que as empresas devem desenvolver sistemas e processos flexíveis e pensar na produtividade das pessoas, independentemente de estarem trabalhando em um escritório, em casa ou em qualquer outro lugar.

Pensando neste cenário, é importante que os investidores estejam atentos à algumas tendências para transformá-las em oportunidades.

1. Mudanças dos líderes e nas estratégias das empresas

Um movimento importante a ser analisado são as mudanças que aconteceram e devem se intensificar nas lideranças das empresas. O cenário e a velocidade das mudanças constantes têm feito muitas empresas repensarem suas estratégias e o perfil dos executivos, com o intuito de atrair e desenvolver líderes com habilidades em criar novas estratégias digitais, mobilizar as pessoas e, claro, promover a transformação cultural necessária com agilidade.

A análise do perfil da liderança de uma empresa é fundamental para uma boa decisão de alocação do seu portfólio de investimentos.

2. Expansão do segmento de saúde

É importante que o investidor tenha em mente a tendência de expansão do segmento de saúde. Os gastos da população com saúde devem aumentar significativamente e novos modelos de tratamento, como a telemedicina, ganham importância, além da expansão das áreas de pesquisa e desenvolvimento. Isso inclui como antecipar e se preparar para o próximo vírus. A saúde é cada vez mais relevante para as pessoas e para a sustentabilidade dos negócios.

As plataformas digitais e as novas tecnologias surgem com mais força e passam a ser uma tendência a se observar no mercado. Isso impacta a expansão do sistema de saúde para gerenciar casos relacionados à covid-19, problemas musculoesqueléticos, cura de tipos específicos de câncer, dentre outras necessidades de saúde.

3. Novo perfil de consumo

O consumidor passa a praticar cada vez mais o consumo consciente, privilegia a economia local, está cada vez mais preocupado com o bem estar e meio ambiente, compra mais próximo de casa e aderiu a novos formatos de compra por meio de plataformas digitais.

A WGSN, empresa especializada em tendências de consumo, publicou um estudo sobre o novo consumidor em 2021 e apontou três características que estão tomando conta dos consumidores. De acordo com Carla Buzasi, Diretora geral da WGSN, a primeira delas é a empatia que está se desenvolvendo como reação à cultura do ódio. As empresas que se mostrarem humildes, autênticas, que admitirem seus erros e mostrarem um comprometimento a longo prazo com a responsabilidade social corporativa tendem a ter mais sucesso.

A outra característica é marcada por jovens que estão vivenciando uma onda otimista e que resultará em mudanças sociais e políticas. As empresas que criarem formas e maneiras de comprar, encorajando o comércio direto e explorando as oportunidades de varejo em novos e estimulantes “terceiros espaços”, irão conquistar esses consumidores.

A terceira delas é que, diante da infinidade de opções presentes no mercado, as empresas busquem simplificar o quê e a forma como ofertam, já que uma parcela dos consumidores procura organizar e simplificar o seu estilo de vida. Torna-se, então, essencial que as empresas invistam e facilitem a experiência digital, e usem a inteligência artificial e o aprendizado das máquinas para garantir a sustentabilidade do negócio.

Sob a ótica do investidor, conhecer as tendências do consumidor vai auxiliar no processo de avaliação das empresas investidas, sejam elas corporações ou startups.

4. Diversificação de portfólio

Vale uma conversa com um assessor financeiro para avaliar e definir os critérios de exposição ao risco frente ao crescimento nos setores favorecidos atualmente. Permanecer diversificado, mesmo dentro de um grupo, permitirá aos investidores participar de ganhos de tendência e ainda gerenciar o risco. Os investidores devem também para 2021 intensificar a alocação em portfólios de empresas com ativos associados a negócios sólidos e ligados à sustentabilidade.

Outra tendência para 2021 é a intensificação da utilização de inteligência artificial para auxiliar na gestão de risco e portfólio de investimentos. A tecnologia é capaz de identificar tendências e riscos, além de minimizar erros e evitar o esforço humano. Os sistemas de inteligência artificial aplicados à gestão de risco auxiliam os especialistas financeiros na alocação de ativos indicando um planejamento futuro mais seguro.

O ano de 2021 promete ser imprevisível, dadas as relações entre a pandemia, uma economia em recuperação por ciclos e a expectativa das pessoas de se adaptarem às mudanças. Espero que as dicas desse artigo ajudem você investidor a melhorar suas chances enquanto navega pelos riscos e oportunidades que veremos pela frente.

Que o vento esteja a seu favor!

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos