EURO R$ 6,32 -0,24% MGLU3 R$ 6,33 +3,94% BBDC4 R$ 20,87 +1,61% ABEV3 R$ 15,10 +0,73% IBOVESPA 106.927,79 pts +1,33% DÓLAR R$ 5,54 +0,06% ITUB4 R$ 23,50 -0,76% PETR4 R$ 31,45 +3,73% VALE3 R$ 84,69 +0,58% GGBR4 R$ 28,28 +0,04%
EURO R$ 6,32 -0,24% MGLU3 R$ 6,33 +3,94% BBDC4 R$ 20,87 +1,61% ABEV3 R$ 15,10 +0,73% IBOVESPA 106.927,79 pts +1,33% DÓLAR R$ 5,54 +0,06% ITUB4 R$ 23,50 -0,76% PETR4 R$ 31,45 +3,73% VALE3 R$ 84,69 +0,58% GGBR4 R$ 28,28 +0,04%
Delay: 15 min
Marco Saravalle, sócio-fundador da BM&C e da SaraInvest (Foto: Divulgação/SaraInves)

Marco Saravalle é analista CNPI-P e sócio-fundador da BM&C e da Sara Invest. Foi estrategista de Investimentos do Banco Safra, estrategista de Investimentos da XP Investimentos, Analista e co-gestor de fundos de investimentos na Fator Administração de Recursos e GrandPrix e analista de ações na Coinvalores e Socopa. Formado em Ciências Econômicas pela PUC-SP, Pós-graduado em Mercado de Capitais pela USP e Mestrando em Economia e Finanças pela FGV/EESP. Iniciou sua carreira no programa de Trainee do Citibank. Atualmente é Diretor Administrativo/Financeiro da Apimec Nacional, membro do comitê de
educação da CVM e presidente do Conselho da ONG de educação financeira,
Multiplicando Sonhos.

Escreve quinzenalmente, às segundas-feiras

Marco Saravalle

Esta é a melhor estratégia de investimento para a sua carteira

Asset Allocation e Market Timing são as estratégias mais usadas pelos investidores; veja como utilizá-las

(Fonte: Namtip Studio/Shutterstock)
  • O Asset Allocation (alocação de ativos) é uma estratégia que tem como objetivo definir o percentual que será alocado em cada classe de ativo de acordo com o perfil do investidor e seus objetivos
  • O Market Timing (hora certa) é uma estratégia que requer um gerenciamento de risco elevado dessas operações, pois além do risco com a negociação dos ativos o investidor precisa se atentar aos custos operacionais

Iniciamos o novo ano no mesmo ritmo do final de 2021, com forte volatilidade na Bolsa de Valoresbrasileira. Nos primeiros três dias de pregão em 2022, o Ibovespa (principal indicador do mercado acionário da B3) apresentou uma queda de 3,64%, chegando aos 101.005 pontos na quarta-feira (5). O resultado foi consequência da diminuição da exposição em ativos de risco pelos investidores, refletindo a cautela adotada devido aos avanços da variante Ômicron do coronavírus, alta da inflação e aumento da taxa básica de juros, no Brasil e no mundo.

Diante desse cenário, muitos investidores têm me perguntado qual a melhor estratégia a ser adotada para suas respectivas carteiras de investimento?

A pergunta é muito boa e no mercado financeiro há diversas estratégias para diferentes perfis e objetivos, neste artigo vamos falar sobre duas estratégias que são muito utilizadas pelos investidores, Asset Allocation (alocação de ativos) e Market Timing (hora certa).

O Asset Allocation é uma estratégia que tem como objetivo definir o percentual que será alocado em cada classe de ativo de acordo com o perfil do investidor e seus objetivos. Diversos estudos apontam que essa é uma das melhores estratégias de investimento, além de ser a principal tática adotada por diversos gestores patrimoniais, responsáveis pela gestão de grandes fortunas.

Outro ponto importante do Assest Allocation é com relação ao rebalanceamento periódico da carteira, que pode ser quinzenal, mensal, trimestral, semestral ou anual, de acordo com a estratégia adotada.

Exemplificando: um investidor com perfil arrojado e objetivos de longo prazo, teria uma carteira composta por: 30% em ativos de renda fixa, 15% em fundos imobiliários, 25% em ações no Brasil, 25% em ativos no exterior e 5% em criptoativos. Essa alocação seria revisada conforme o prazo estabelecido de rebalanceamento, sendo necessário aumentar ou diminuir a posição nos ativos para se adequar aos percentuais definidos no início da carteira.

O resultado dessa hipotética carteira seria de um retorno positivo de 12,38% em 2021, desempenho superior em comparação a alguns índices do mercado financeiro no mesmo período:

  • CDI (Certificado de Depósito Interbancário – referência para renda fixa): retorno de 4,42%;
  • IFIX (Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários): queda de 2,19%;
  • Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo): queda de 11,81%.

Outra estratégia que é muito utilizada no mercado financeiro e tem como objetivo acertar o melhor momento para comprar ou vender um ativo é o Market Timing.

Para comentar sobre as duas estratégias de investimento, convidei o consultor de Investimentos da SaraInvest, David Martins. Ele menciona que a disciplina é a peça chave para que o Asset Allocation seja bem executado, pois no dia-a-dia, muitos investidores se deixam levar pelo descontrole emocional e acabam girando muito a carteira de investimento, comprando e vendendo ativos que fogem do seu perfil de investidor e de seus objetivos de investimento, na tentativa de acertar o melhor momento, ou seja, o Market Timing é uma estratégia que requer um gerenciamento de risco elevado dessas operações, pois além do risco com a negociação dos ativos o investidor precisa se atentar aos custos operacionais.

“Os investidores precisam tomar muito cuidado com algumas recomendações que são efetuadas com o único objetivo de gerar receita para bancos e corretoras, além da comissão que é paga aos gerentes de bancos e assessores de investimentos. Busque sempre por um profissional certificado e independente, que recomende o que é melhor para você, de acordo com seu perfil e seus objetivos”, finaliza Martins.

Como dito no início deste artigo, há diversas estratégias no mercado financeiro, minha recomendação é para que opte por aquela que você tenha mais conhecimento e se sinta mais confortável, além de sempre contar com profissionais qualificados para te auxiliarem no processo de investir.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos