Comportamento

A importância de empreender e intraempreender pela visão feminina

Convidadas do Young Women Summit comentam sobre suas trajetórias como empreendedoras

A importância de empreender e intraempreender pela visão feminina
Cavenaghi fundou a Fin4She para aproximar o mercado financeiro da equidade de gênero. (Foto: Divulgação)
  • Em mais um encontro da quarta edição do Young Women Summit, convidadas debateram a importância da presença feminina no mercado financeiro
  • O tema em foco foi o empreendedorismo e a importância de encará-lo como algo além da criação de uma empresa
  • As convidadas contaram suas jornadas não só como empreendedoras, mas também como intraempreendedoras

Em mais um encontro da quarta edição do Young Women Summit, convidadas debateram a importância da presença feminina no mercado financeiro. No painel “Empreendendo na sua carreira: a importância do intraempreendedorismo e de criar conexões reais”, o tema em foco foi o empreendedorismo e a importância de encará-lo como algo além da criação de uma empresa.

Quatro mulheres com experiência na área participaram da conversa. Patrícia Stille, cofundadora e CEO da BEE4, Fernanda Franco, cofundadora e CEO da Quasar Asset, Iêda Cagni, presidente do Conselho de Administração do Banco do Brasil, e Carolina Cavenaghi, fundadora e CEO da Fin4She, que mediou o diálogo.

As convidadas contaram suas jornadas não só como empreendedoras, mas também como intraempreendedoras, já que buscaram inovar e construir novas ideias mesmo dentro das empresas onde trabalhavam.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Para Cagni, que fez carreira como servidora pública, empreender significa justamente olhar de uma forma diferente para o que está estabelecido, em busca de uma solução. “Você entra em uma sala, em um prédio. O que você consegue enxergar além daquilo que você está vendo? Como você pode melhorar? Como você pode transformar?”, enfatizou.

Fernanda Franco, da Quasar Asset, destacou como muitas mulheres podem se sentir inseguras antes de empreender. “O empreendedorismo não é tão romântico como as pessoas ‘pintam’. Algumas mulheres empreendem por necessidade e nós tivemos o privilégio de empreender por escolha. Mas eu fiz essa escolha não só quando eu me senti financeiramente preparada, mas pessoalmente também”, afirmou.

Nesse momento de inseguranças, as conexões e os relacionamentos construídos ao longo do tempo colaboram para a solução de desafios. “À medida que você vai criando projetos maiores, dentro da sua própria régua de referência mesmo, aquele problema com que você ficou super nervosa antes, se torna pequeno”, aconselha Stille, da BEE4.

Por fim, as convidadas ressaltaram a responsabilidade que possuem em abrir novos caminhos e mostrar para mais jovens como é possível participar do mercado financeiro. Como empreendedoras, são responsáveis pelo todo e se preocupam em inspirar as futuras lideranças.

Evento

O Young Women Summit é organizado pela Fin4She e a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em parceria com o E-investidor, para abordar as dificuldades e a importância de se ter mais mulheres no mercado financeiro. O evento tem programação até o fim do mês de março. Faça a sua inscrição e participe! 

 

Publicidade

 

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos