Publicidade

Comportamento

Cai quem quer? Golpe do SMS é ardiloso; fique alerta e se proteja

Mensagens de SMS parecem alertar para golpes, mas são ferramentas usadas para atingir as vítimas

Novo golpe bancário usa SMS para fisgar vítima
  • Para evitar cair em golpes, não clique em links ou ligue para números enviados via SMS
  • Procure os canais digitais oficiais do seu banco ou instituição financeira
  • Desconfie sempre: Estado de alerta vai te ajudar a evitar apuros
  • Nunca forneça senhas ou dados pessoais por telefone

Golpes usando nomes de bancos e instituições financeiras são cada vez mais recorrentes. Os estelionatários usam ferramentas simples para sensibilizar os clientes, invadir contas e fazer verdadeiros estragos. O presente de grego da vez é chamado de “Golpe do 0800”. Nele, o criminoso informa um suposto rombo na conta da vítima e pede, via mensagem de texto, que ela ligue para um suposto número oficial ou clique em um link falso para evitar que a operação seja sacramentada.

O cidadão fica abalado com a possibilidade de ver suas finanças serem prejudicadas e sequer pensam que o golpe ainda não foi aplicado. Sem racionalizar, ligam para os números facilmente oferecidos como soluções ou clicam nos links. Mas é só nesse momento que de fato o golpista consegue agir, invadindo celulares e contas bancárias.

De acordo com Henrique Castro, professor de finanças da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a facilidade de comunicação via ambiente digital é o que deixa o golpista com capacidade de escalar o número de vítimas. “É como se fosse uma pescaria. O bandido joga a isca para ver quem cai”, exemplifica o docente. Para ele, há motivos para a aplicação via SMS.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

“Eles dão um verniz de veracidade, de credibilidade ao esquema quando usam o SMS. Fazem isso porque os bancos usam tal caminho na confirmação em duas etapas e a operação fica parecida. Outra coisa são os canais de atendimento que o banco disponibiliza. Muitas vezes, em números 0800”, explica.

Alimentando o golpista?

Para Castro, a população também é vítima das suas próprias ações. Sem pensar, é muito comum o cadastro de dados importantes como RG e CPF em sites não oficiais. Seja para a compra de algum produto ou leitura de um texto, por exemplo. Quando essas informações caem em mãos erradas, criam o ambiente perfeito para o golpe. “Os nossos dados acabam fugindo do nosso controle”, destaca.

É dessa forma que, segundo o diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini, as técnicas para aplicar golpes ficam cada vez mais refinadas. “Quanto mais informações a gente deixa disponível na internet, preenche cadastro de tudo quanto é lugar, mais a gente alimenta o golpista. Com isso eles conseguem preparar abordagens mais convincentes”, aponta.

Golpes que usam o SMS para fazer a vítima ser lesada são caracterizados como “engenharia social”, que usam técnicas para enganar o indivíduo, sem necessariamente precisar enfrentar a segurança do ambiente bancário. Dados da Febraban apontam que 70% das fraudes relacionadas à categoria são desse tipo.

A proteção, portanto, é individual. “Instituições financeiras de verdade não pedem para confirmar informações como senha, que são muito pessoais. Ao receber um SMS suspeito, o ideal é desconfiar na hora”, alerta o professor da FGV.

No caso da Serasa, os golpes mais recorrentes via SMS são os de envio de boletos de pagamento para a vítima. Para evitar que pessoas sejam lesadas, a instituição criou em seu aplicativo um validador de boletos, que permite a checagem de veracidade do documento. “Na dúvida da cobrança, é sempre melhor desconfiar e entrar nos canais oficiais da Serasa com senha e cadastro”, orienta a Patricia Camillo, gerente da Serasa.

Publicidade

A instituição também oferece um canal de denúncias em seu site oficial, e costuma enviar informativos sobre os golpes mais comuns que estão sendo aplicados. “Parar essa atividade fraudulenta é muito importante. Se você viu um golpe, denuncie”, orienta a representante.

Como se proteger do “Golpe do 0800”

De acordo com o representante da federação dos bancos, os golpes de engenharia social estão sendo evitados através de uma operação que funciona como um tripé. Há a troca de informações sobre segurança entre as instituições conveniadas, denúncias de crimes sendo feitas à Polícia Federal e o outro pilar fica a cargo do cliente. “A conscientização é fundamental. Tentamos antecipar aos brasileiros como o golpista se comporta”, aponta Volpini.

Segundo dados oficiais da instituição, os investimentos dos bancos em sistemas de tecnologia da informação voltados para a segurança são de R$ 3,5 bilhões por ano, o que corresponde a 10% do orçamento. “Em outros países, o percentual é de 8%. Isso mostra que o Brasil está à frente nesse sentido”, destaca.

No golpe via SMS, geralmente são informados números de 0800 que se parecem com os das centrais bancárias e de outras instituições financeiras. Ainda que a proposta de resolver de imediato seja tentadora, não ligue para o telefone que aparece na tela e não clique no link enviado.

“Nunca atenda a recomendação por ali. Entre em contato via os canais oficiais do banco. Pode ser o número que aparece atrás do seu cartão de crédito, o chat contido no aplicativo bancário ou o 0800 que consta no site oficial. A dica é: sempre busque os canais oficiais”, frisa Volpini.

Web Stories

Ver tudo
<
>

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos