Publicidade

Investimentos

Adaptação: como multimercados sobem mesmo em cenário desanimador

No panorama atual, fundos com alocação no exterior e em criptomoedas estão entre os destaques

Adaptação: como multimercados sobem mesmo em cenário desanimador
Fundos permitem diversificar investimento e correr menos riscos na busca por rendimentos melhores. (Foto: Bluebay/Shutterstock)
  • Considerando o ambiente de incertezas e, inclusive, desordem na economia e na política monetária nacional, quem saiu se destaca são os fundos voltados à aplicações no exterior
  • Os multimercados registram aumento de 9,46% no patrimônio líquido neste ano, contra 7,37% nos de renda fixa. Ao todo, a captação no ano chega a R$ 79,5 bilhões
  • Para gestores, a principal vantagem é a aplicação em diferentes classes a partir da leitura de tendências macro

Com o ambiente de incertezas e a recente desordem na economia e na política monetária nacional, os fundos voltados à aplicações no exterior voltam para os holofotes. Classificados como fundos que contêm diferentes fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhum fator em particular, os fundos multimercados fazem parte de uma classe de ativos relevante na carteira, sobretudo quando o cenário demanda diversificação para enfrentar momentos de instabilidade.

Enquanto o Ibovespa registra queda de 9,36% no acumulado do ano, o S&P 500 e o bitcoin marcaram altas históricas na última semana. O principal índice amplo americano chegou a 4.549,78 pontos, com alta de 22,9% no ano. Já a criptomoeda tem crescimento de 104,8% no acumulado de 2021.

No ranking dos fundos multimercados que mais cresceram em um ano, segundo a Economatica, aqueles com criptomoedas, alocação no exterior e em renda fixa no portfólio ganham espaço e ocupam as primeiras colocações.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Marcando 430,5% de alta em um ano, o Hashdex 100 Nasdaq Crypto Ind FI Mult IE é o fundo com maior retorno. Seguindo pelo BLP Crypto Assets FI Mult IE e pelo ESH Theta FI Mult, que cresceram 388,9% e 124,8%, respectivamente.

Com a Bolsa em queda e a renda fixa tomando espaço nas carteiras por conta do aumento da inflação e dos juros, a diversidade de multimercados oferece uma gama de posições atrativas para investidores. Além disso, uma das principais estratégias dos gestores é entender o modelo macroeconômico vigente para adiantar tendências e, consequentemente, conseguir rentabilizar.

Performance

O Índice de Hedge Funds Anbima (IHFA) é utilizado para referenciar hedge funds. No Brasil, esse tipo de produto é similar aos fundos multimercado de gestão ativa, com aplicações em diversos segmentos do mercado e várias estratégias de investimento. Na variação de 12 meses até 18 de outubro, o índice acumula alta de 7,6%. No ano, o crescimento é de 2,9%.

Os multimercados registram aumento de 9,4% no patrimônio líquido neste ano, contra 7,37% nos de renda fixa. Ao todo, a captação no ano chega a R$ 79,5 bilhões, de acordo com relatório da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

As amplas possibilidades de atuação vão desde o foco em retorno no longo prazo por meio de investimento em classes de ativos nacionais, estratégias de gestão para atingir objetivos estabelecidos, ou ainda com alocação de mais de 40% do patrimônio líquido no exterior.

Os fundos multimercado que mais valorizaram em 12 meses

Foram considerados os fundos não exclusivos, que não sejam limitados a investidores qualificados e com mais de 100 cotistas.

Fundo
Retorno
12 meses 6 meses 3 meses
Hashdex 100 Nasdaq Crypto Ind FI Mult Ie 430,5% 21,6% 114,8%
Blp Crypto Assets FI Mult – Ie 388,95% 29,81% 58,9%
Esh Theta FI Mult 124,8% 87,5% 10,6%
Star Spc St II Ad FICFI Mult Cred Priv 83,9% 6,38% -4,03%
CSHG Patria Inf IV FI Mult 72,2% -11,8% 9,7%
Hashdex 20 Nasdaq Crypto Ind FICFI Mult 50,8% 7,8% 18,9%
Btgp Mobius Emerging Markets FI Mult Ie 41,8% 20,7% 8,6%
L2 Alpha Global FI Mult Cred Priv 41,1% 18,8% 27%
CSHG Patria Private Equity VI FI Mult 39,6% 23,2% 12,2%
Blp Criptoativos FI Mult 38,% 4,1% 7,2%
Fonte: Economatica. Dados até 19/10/21

Visão macro

“A grande vantagem dos multimercados é a adaptação a novos cenários”, afirma Bruno Marques, gestor de fundos multimercados da XP Asset.

De acordo com Marques, existe uma percepção errônea sobre o que os multimercados são. “Muitos investidores acreditam que só existe ganhos com a queda de juros, mas não é assim. A rentabilidade acontece porque eles tentam antecipar tendências macroeconômicas”, diz.

Publicidade

Ele explica que, se for observado o panorama de 2016 até o momento, existia uma tendência de queda de juros e alta de Bolsa, influenciado por novas plataformas difundindo investimentos de varejo e por consequência de reformas estruturantes do governo.

“Antes disso, olhando em 2014 e 1015, com um ambiente de crescimento fraco e piora do quadro fiscal, os fundos que apostam na alta de juros e queda da Bolsa conseguiram maior retorno”, aponta. De acordo com o gestor da XP, quem consegue ter esse olhar desde o histórico até os noticiários e números atuais, conseguem antecipar tendências que devem sair na frente.

Segundo ele, mesmo com eleições incertas, os principais candidatos têm histórico conhecido pelo mercado, o que permite uma avaliação para tomada de decisão. Para Marques, mesmo que os indicadores macroeconômicos sejam agravados, os multimercados têm capacidade de se apropriar das tendências.

“Os multimercados compõem muito bem as carteiras neste momento”, indica.

Variação de cenários e desempenho

Sócio da gestora 051 Capital, Flávio Aragão comenta que os multimercados, por serem ativos sem direcionalidade única, são opções vantajosas em cenários em que as variáveis são claras e podem ser mapeadas.

“Mesmo que surjam novidades que abalem o mercado, já sabe-se como as ações político-econômicas do País acontecem e influenciam o mercado, diferente do ano passado, durante os picos da pandemia, quando as variáveis ainda eram desconhecidas”, explica.

Publicidade

Por conta disso, segundo ele, é possível que gestores tomem decisões adequadas que possam gerar rentabilidade para os investidores.

Segundo Aragão, a vantagem dos multimercados é a descorrelação com uma classe específica, além de serem ativos que, em geral, possuem boa qualidade de gestão, e ainda oferecem formatos operacionais diferentes. Outra vantagem é a adequação a diferentes perfis de riscos, podendo encontrar alternativas com volatilidade que vão de 4% a mais de 20%.

Com um cenário mapeado, é possível aplicar em diferentes ativos, como juros e moeda, seja em compra ou venda, e conseguir ganhos.

Web Stories

Ver tudo
<
>

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos