MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
Delay: 15 min
Investimentos

Seria a hora de o SoftBank fazer o IPO do Vision Fund?

Decisão ajudaria a dar liquidez para o fundo

Masayoshi Son, CEO do SoftBank Group (Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters)
O que este conteúdo fez por você?
Me ajudou a ganhar dinheiro Me ajudou a economizar Me ensinou algo que eu não sabia Me livrou de uma roubada

(Tim Culpan/WP Bloomberg) – A principal bandeira do SoftBank Group, o Vision Fund, está se esgarçando. É provável que suas participações em startups de unicórnios entreguem dinheiro aos investidores em breve. No entanto, o SoftBank precisa de liquidez, e há rumores de que o fundo soberano do governo saudita esteja buscando monetizar sua participação por meio de um empréstimo de margem. (O fundo negou um relatório da Bloomberg News de que possui tais planos).

Uma resposta para ambos os problemas seria listar ações no próprio Vision Fund, um tópico que tem recebido pouca consideração à medida que as pessoas se concentram nos investimentos subjacentes. Ouça-me, no entanto. As duas maiores participações do fundo no momento são a plataforma de conteúdo chinesa Bytedance e a líder Didi Chuxing.

Há poucas chances de que uma oferta pública inicial (IPO) seja lançada em 2020, e provavelmente não nos EUA, onde o clima em relação às empresas chinesas piorou após o escândalo da Luckin Coffee. Que pena: todos os dólares impressos por Washington para enfrentar a crise econômica do covid-19 podem significar que há muito dinheiro esperando por uma nova e grande venda de ações.

Dos 88 investimentos na carteira do Vision Fund, 50 tiveram um corte na avaliação durante os 12 meses encerrados em 31 de março e 19 permaneceram inalterados.

O SoftBank disse aos investidores na segunda-feira 18 que suas startups estão enfrentando graus variados de impacto em relação à pandemia, o que significa que provavelmente não é um momento oportuno para tentar vender qualquer empresa na bolsa de valores. Mas, como um agrupamento de empresas, o portfólio é um ativo tão bom quanto qualquer outra coisa que o SoftBank tem em mãos.

É possível que a SoftBank possa transferir algumas das ações da T-Mobile nos EUA que substituíram sua participação na Sprint Corp. após a fusão das operadoras. Segundo o Wall Street Journal, a controladora da T-Mobile, Deutsche Telekom, está considerando uma compra. Mas existem várias cláusulas de bloqueio e incentivos de preços de ações incorporados ao negócio que provavelmente limitam o tamanho de qualquer transação.

Eu falei antes sobre a necessidade do SoftBank vender sua participação de US$ 137 bilhões no Alibaba Group, depois que ele disse que monetizaria até US$ 41 bilhões em ativos. Sejamos claros: “monetizar” não significa necessariamente vender. A estratégia do SoftBank tem sido em grande parte a contratação de empréstimos garantidos por seus ativos, alguns dos quais sem recurso. (A falta de recurso significa que, se a dívida não puder ser paga ou outras cláusulas forem acionadas, o credor poderá se apropriar do ativo comprometido, em vez de forçar o devedor a pagar.) Já é de conhecimento público que está previsto um eventual da fabricante britânica de semicondutores Arm, que faz parte do portfólio da empresa.

O estado atual das finanças do SoftBank torna provável que essa listagem seja acelerada. Mas essas participações – T-Mobile, Alibaba, Arm – são ativos da SoftBank. Vendê-los não resolve necessariamente as necessidades de caixa do Vision Fund. E eles não ajudam muito o fundo do governo saudita.

Como escreveu recentemente meu colega David Fickling, os ativos financeiros líquidos mantidos pelo governo da Arábia Saudita caíram para apenas 0,1% do produto interno bruto, de 50% nos quatro anos até 2018. Ser um dos maiores produtores de petróleo do mundo ajuda muito quando uma pandemia global pousa a aeronave, as economias entram em declínio e há queda nos preços do petróleo.

Mesmo que o fundo saudita negue planos de contrair empréstimos contra sua participação no Fundo Vision, os governantes do reino árabe estarão ansiosos para angariar dinheiro da melhor maneira possível.

O próprio Vision Fund precisa de dinheiro: pelo menos US$ 3 bilhões em pagamentos de dividendos preferenciais a cada ano, bem como o dinheiro necessário apenas para operar e, em teoria, para pagar a dívida já retirada. O Softbank já colocou parte do dinheiro arrecadado para pagar esses dividendos, mas isso não vai durar para sempre.

Com o valor contábil de seus ativos caindo mais de US$ 17 bilhões em 2019, a capacidade do fundo de continuar tomando empréstimos para cobrir esses requisitos diminuirá. É provável que haja investidores que acreditem no plano de longo prazo do fundador Masayoshi Son para construir empresas campeãs que mudem o mundo e proporcionem enormes lucros no processo.

Afinal, muitos já compraram o próprio SoftBank Group, que considera o Vision Fund como um dos principais impulsionadores de ganhos. Dado o quão ilíquidos são os ativos e a natureza volátil de seus ganhos, uma listagem do Vision Fund certamente seria vista como uma jogada bizarra. Mas pode muito bem ser visto como a cartada de um visionário.

Invista utilizando as melhores plataformas de negociação. Cadastre-se na Ágora Investimentos
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
Delay: 15 min

Informe seu e-mail