MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
MGLU3 R$ 14,53 +2,54% ITUB4 R$ 24,66 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% GGBR4 R$ 28,22 +0,21% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% PETR4 R$ 29,65 -0,10% ABEV3 R$ 15,45 -0,26% VALE3 R$ 80,32 +1,41%
Delay: 15 min
Mercado

As 8 ações que cresceram o dobro do Ibovespa após tombo da B3

O Índice já subiu 60% desde o dia 23 de março. Conheça os papéis com alto desempenho

(Foto: Amanda Perobelli/Reuters)
  • Desde seu menor patamar no ano, no dia 23 de março, o Ibovespa já subiu 60%
  • 34 ações que compõem o índice registraram variação superior no mesmo período
  • Empresas de e-commerce tiveram destaque, com três papéis entre as maiores altas

Desde que o Ibovespa atingiu seu menor patamar no ano, aos 63.569,62 pontos no dia 23 de março, o principal índice da B3 já valorizou 55,9% e terminou a quinta-feira (9) a 99.160,33 pontos.

Das 75 ações que compõem o principal índice da bolsa brasileira, 34 delas têm variação superior ao índice no mesmo período. Destas, 8 papéis registraram mais do que o dobro de valorização em relação ao índice.

Para entender o que explica o desempenho superior ao Ibovespa no período, o E-Investidor conversou com especialistas do mercado.

Os papéis com variação superior ao dobro do Ibovespa, em ordem alfabética, são: B2W (BTOW3), Braskem (BRKM5), BTG Pactual (BPAC11), CVC (CVCB3), Eletrobras (ELET3), GOL (GOLL4), Magazine Luiza (MGLU3) e Via Varejo (VVAR3). (Confira o ranking no final da reportagem)

E-commerce

O setor com maior destaque é o de varejo on-line: três empresas aparecem com o dobro de rentabilidade em relação ao índice.

Ricardo França, analista da Ágora Investimentos, destaca que a alta generalizada nas ações das empresas aconteceu devido a aceleração das vendas. “O volume de vendas que deveria acontecer em três anos aconteceu em três meses”, diz França.

Além disso, a expectativa de que o comércio on-line continue em alta, mesmo com a reabertura das lojas físicas, também puxou os papéis para cima. “As pessoas gostaram disso e o novo hábito veio para ficar”, diz o analista da Ágora.

Fato é que cada uma das empresas tem seu motivo específico para ter rentabilidade superior aos outros paress. A Via Varejo (VVAR3), por exemplo, teve a maior alta no período e se beneficia pelo grande desconto que suas ações tinham no pior momento da crise.

Na ocasião, seu papel chegou a ser cotado a R$ 4,41 e agora está em R$ 17,55, uma valorização de 297,9%. Vale lembrar que o papel teve o maior turnover do semestre. “Como ela era a mais descontada do setor naquele momento, a ação foi a que mais subiu também”, afirma Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos.

As altas do setor são seguidas por B2W (BTOW3) 165,06% e Magazine Luiza (MGLU3) 162,83%.

As mais descontadas

Para os especialistas, a alta nas ações da GOL (GOLL4) e CVC (CVCB3) é reflexo do grande desconto que as empresas apresentaram no pico da crise. “É uma recuperação forte de uma queda muito intensa”, diz França, da Ágora.

Arbetman, explica que o papel da GOL teve uma grande valorização em comparação a suas rivais por conta da presença da malha doméstica no País. “Ela está presente nos principais aeroportos e eles foram os primeiros a voltar”, diz.

Como estava muito descontada e o setor aéreo começou a se recuperar antes do previsto, a ação garantiu um ótimo desempenho. “A demanda voltou mais rápido nos grandes centros e isso puxou os papéis”, afirma o analista da Ativa.

No caso da CVC, os especialistas pontuam que os fatores são os mesmos: o grande desconto que o papel tinha, somado com a retomada mais rápida do setor de viagens. “O mercado viu oportunidades apostando que o pior já ficou para trás”, diz Arbetman.

Apesar da alta de destaque no período, França ressalta que os papéis ainda possuem muita volatilidade. “Mesmo com o bom desempenho desde março elas continuam negativas no ano”, afirma.

Do pior momento do Ibovespa até o fechamento da quinta-feira (9), as ações da GOL (GOLL4) registraram alta de 184,42% e  CVC (CVCB3) de 153,61%. No ano, porém, os papéis apresentam desvalorização de 46,14% e 56,05%, respectivamente.

Eletrobras

A alta das ações da Eletrobras (ELET3) foi puxada pela perspectiva de privatização da empresa. “A volta recente da agenda de privatizações foi benéfica para o papel e empurrou a ação para as maiores altas desde o pior momento da bolsa”, diz França, da Ágora.

“Depois da aprovação do marco legal do saneamento, ficou  claro que as privatizações passarão mais rápido”, diz Arbetman, ressaltando que a retomada da pauta liberal do governo beneficiou a companhia. “Esperamos que a privatização da Eletrobras aconteça até meio do ano que vem. O mercado já está precificando isso”, completa o analista da Ativa.

Desde o 23 de março, o papel da Eletrobras (ELET3) tem alta de 141,21%.

BTG Pactual

Em relação ao BTG Pactual (BPAC11), o analista da Ativa explica que o banco foi  beneficiado pela  grande participação na área de investimentos e corporate banking. Segundo ele, enquanto os bancos de varejo sofreram muito no período pela alta demanda por crédito, o BTG não teve esse problema.

“O aumento de IPOs e a crescente busca por investimentos está sendo muito positivo para o banco”, diz Arbetman.

No período, as ações do BTG Pactual (BPAC11) registraram valorização de 218,65%.

Braskem

As ações da Braskem (BRKM5) subiram impulsionadas por dois motivos: a grande participação no mercado americano e a possibilidade de desinvestimento da Petrobras na empresa.

“A operação americana mostrou maior resiliência na crise e o dólar alta acabou sendo positivo para ela. Além disso, após a venda das refinarias por parte da Petrobras, o mercado especula que um dos próximos passos de seu desinvestimento seja em seus stakes da Braskem”, afirma Arbetman, analista da Ativa.

Desde o dia 23 de março, as ações da Braskem (BRKM5) tiveram alta de 134,06%.

Ranking das ações que dobraram a valorização do Ibovespa

EmpresaCotação 23/03Cotação 09/07Variação
Via Varejo (VVAR3)R$ 4,41R$ 17,55297,96%
BTG Pactual (BPAC11)R$ 26,11R$ 83,20218,65%
GOL (GOLL4)R$ 6,93R$ 19,71184,42%
B2W (BTOW3)R$ 45,34R$ 120,18165,06%
Magazine Luiza (MGLU3)R$ 30,21R$ 79,40162,83%
CVC (CVCB3)R$ 7,61R$ 19,30153,61%
Eletrobras (ELET3)R$ 15,24R$ 36,76141,21%
Braskem (BRKM5)R$ 10,07R$ 23,57134,06%

Fonte: Estadão/Broadcast

Nossos editores indicam este conteúdo para você investir cada vez melhor:
Os 23 fundos imobiliários mais rentáveis de 2020

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos