MGLU3 R$ 25,99 +1,96% DÓLAR R$ 5,47 +0,00% EURO R$ 6,66 +0,03% BBDC4 R$ 25,01 -1,84% ITUB4 R$ 29,27 -2,14% PETR4 R$ 27,09 -1,67% IBOVESPA 117.380,49 pts -0,80% ABEV3 R$ 15,15 -2,95% VALE3 R$ 93,17 -0,20% GGBR4 R$ 25,36 +1,36%
MGLU3 R$ 25,99 +1,96% DÓLAR R$ 5,47 +0,00% EURO R$ 6,66 +0,03% BBDC4 R$ 25,01 -1,84% ITUB4 R$ 29,27 -2,14% PETR4 R$ 27,09 -1,67% IBOVESPA 117.380,49 pts -0,80% ABEV3 R$ 15,15 -2,95% VALE3 R$ 93,17 -0,20% GGBR4 R$ 25,36 +1,36%
Delay: 15 min
Mercado

Boeing rescinde o acordo de fusão com a Embraer

Joint venture envolvendo a área de jatos regionais da companhia brasileira tinha sido acertada em 2018

jato embraer
(Foto: Divulgação Embraer)
  • A Boeing encerrou as negociações com a Embraer para estabelecer uma joint venture envolvendo a área de jatos regionais da companhia brasileira
  • Os termos e condições do acordo tinham sido aprovados em 17 de dezembro de 2018
  • A empresa brasileira ainda não se manifestou sobre a decisão da fabricante americana

(Felipe Laurence/Estadão Conteúdo) A Boeing anunciou neste sábado, 25, que encerrou as negociações com a Embraer para estabelecer uma joint venture envolvendo a área de jatos regionais da companhia brasileira. O prazo para as duas empresas finalizarem o acordo terminou na sexta-feira, 24, mas havia a possibilidade de as negociações serem estendidas até outubro.

“A Boeing exerceu seu direito de encerrar as negociações após a Embraer não satisfazer as condições necessárias (para o acordo)“, diz a empresa americana, em nota.

Segundo a empresa, a joint venture já havia recebido aval “incondicional” da maioria das autoridades reguladoras, com exceção da Comissão Europeia, que iria se posicionar até o dia 7 de agosto. “A Boeing trabalhou de forma diligente por mais de dois anos para finalizar a transação com a Embraer. Nos últimos meses, tivemos produtivas, mas em última instância, sem êxito, negociações sobre as condições da parceria”, diz Marc Allen, presidente da Embraer Partnership & Group Operations da Boeing. “Todos nós trabalhamos para resolver esses pontos antes do prazo, mas não aconteceu. É extremamente decepcionante. Mas chegamos a um ponto no qual a continuidade das negociações não iria resolver os problemas restantes.”

Os termos e condições aprovados em 17 de dezembro de 2018 definiram a criação de uma joint venture (Boeing Brasil Commercial) contemplando ativos do segmento de Aviação Comercial da Embraer e serviços relacionados (segmento de Serviços & Suporte) com 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer. Em 10 de janeiro de 2019, o governo brasileiro informou que não exerceria seu direito de veto no negócio das duas empresas. A Boeing e a Embraer vão manter sua parceria já existente, assinada em 2012 e renovada em 2016, para a fabricação e apoio conjunto da aeronave militar C-390 Millennium.

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos