EURO R$ 6,26 +0,49% DÓLAR R$ 5,34 +0,00% MGLU3 R$ 15,63 -1,64% ITUB4 R$ 28,31 -1,01% ABEV3 R$ 15,84 -0,19% GGBR4 R$ 26,62 -0,96% BBDC4 R$ 20,26 -2,08% IBOVESPA 113.282,67 pts -0,69% VALE3 R$ 77,69 -1,17% PETR4 R$ 26,90 +0,04%
EURO R$ 6,26 +0,49% DÓLAR R$ 5,34 +0,00% MGLU3 R$ 15,63 -1,64% ITUB4 R$ 28,31 -1,01% ABEV3 R$ 15,84 -0,19% GGBR4 R$ 26,62 -0,96% BBDC4 R$ 20,26 -2,08% IBOVESPA 113.282,67 pts -0,69% VALE3 R$ 77,69 -1,17% PETR4 R$ 26,90 +0,04%
Delay: 15 min
Mercado

Com atual volume negociado, B3 seria a 7ª ação mais negociada nos EUA

Segundo simulação da Economática, o papel perderia apenas para gigantes da tecnologia

Foto: Daniel Teixeira/Estadão
  • O volume financeiro negociado na bolsa em 2020 está em seu pico histórico, com transações diárias de US$ 5,138 bi
  • Se a B3 fosse uma empresa listada nos EUA, ela seria a sétima ação mais negociada no país
  • Aumento de pessoas na bolsa puxou o valor para cima. Com a Selic baixa e a volta do investidor estrangeiro, o movimento de alta deve continuar

O volume financeiro negociado na B3 não para de crescer. Apesar de todos os efeitos da crise, a média diária anual de 2020 atingiu seu pico histórico, com transações diárias de US$ 5,13 bilhões. Até o dia 30 de junho, a bolsa brasileira negociou R$ 3,19 trilhões, o equivalente a 84,6% de todo o volume movimentado em 2019.

Para efeito de comparação, a Economatica realizou uma simulação considerando a B3 como uma única empresa e comparou o volume da sua negociação diária com as principais ações listadas nos Estados Unidos.

Considerando a média do mês de junho, onde o volume negociado na B3 foi de US$ 5,59 bi por dia, o papel da empresa seria o sétimo mais negociado nos EUA, perdendo apenas para gigantes da tecnologia. (Confira o ranking no final da reportagem)

Em comparação com as ADR’s, papéis de empresas brasileiras negociadas nos EUA, a diferença do volume médio diário entre e elas é gigante. O papel da Vale (VALE), por exemplo, é a ADR com maior volume de negociação médio no ano, com US$ 289,6 milhões. O valor, no entanto, corresponde a apenas 17,74% do volume diário média negociado na B3.

Neste cenário, o E-Investidor conversou com especialistas do mercado para entender o que causou o aumento no volume das negociações diárias na B3 e se este número deve continuar aumentando nos próximos meses.

Migração de recursos

Segundo os especialistas, o aumento do volume negociado diariamente na B3 é um movimento que acontece há algum tempo e é resultado da migração dos recursos dos investidores para renda variável. “Isso está acontecendo em função do cenário de queda de juros”, diz Ricardo França, analista da Ágora Investimentos.

“O cenário econômico de juros baixos é o grande fator”, concorda Rebeca Nevares, sócia da Monte Bravo Investimentos. Segundo ela, os ganhos em renda fixa cada vez menores impulsionaram a realocação da carteira para o mercado de ações.

Alvaro Bandeira, sócio e economista-chefe do Modalmais, reforça essa visão e destaca que isso já era um movimento esperado quando os cortes na Selic começaram. “É natural que este movimento esteja acontecendo”, diz.

Ao que parece, a entrada de cada vez mais pessoas na bolsa de valores brasileira em busca de maiores rentabilidades foi o principal fator para o aumento do volume das negociações diárias. “Não é a toa que a B3 bateu o recorde de CPFs cadastradas neste ano”, afirma França, da Ágora.

Além da entrada de novos investidores no mercado acionário, a recente valorização do Ibovespa também contribui para o aumento do volume da negociação diária. Mesmo com a queda que o Ibovespa teve no primeiro semestre do ano, os ativos continuam com preços mais altos do que alguns anos atrás. “Com mais investidores na bolsa e os ativos mais baratos, o volume da negociação diária foi puxado para cima”, diz França.

O volume deve aumentar?

Para o especialistas, a resposta é sim. Os motivos que vão sustentar o volume da negociação diária são o cenário de Selic baixa, que deve se manter por mais tempo, e a volta do investidor estrangeiro na bolsa devido ao potencial de valorização.

França destaca que o volume deve continuar crescendo nos próximos meses do ano e também em 2021. “A nossa bolsa ainda está descontada e devem entrar muitos novos investidores por conta da perspectiva de que o juros deve ficar baixo por mais tempo”, afirma o analista da Ágora.

Álvaro, do Modalmais, destaca que diversas bolsas mundiais já recuperaram suas perdas da crise enquanto a brasileira continua em baixa. Assim, eles estão voltando a enxergar o País como uma boa oportunidade para lucrar. “Com a volta das reformas, a crise política mais calma e a covid-19 passando, a tendência é eles voltarem e isso aumenta o volume das negociações”, afirma.

O mês de junho foi o primeiro do ano a registrar um salto positivo de investimento estrangeiro no País, com superávit de R$ 343 milhões. A performance mensal foi resultado de compras de R$ 318,6 bi e vendas de R$ 318,3 bi. No acumulado de 2020, no entanto, a saída de capital gringo soma R$ 76,5 bilhões.

O que isso significa para o investidor local?

Em linhas gerais, o aumento do volume diário da negociação deve ser visto de uma forma positiva para os investidores. “As pessoas estão enxergando oportunidades na bolsa”, afirma Rebeca.

Prova disso é o retorno do investidor estrangeiro para a B3. Na visão dos especialistas, mesmo que o saldo de junho tenha sido pequeno, já é um bom sinal de que o Brasil está voltando a ser visto com bons olhos. “É um bom sinal que podemos ter um futuro melhor”, afirma Bandeira, economista-chefe do Modalmais.

Volume de negociação médio diário mensal de julho de 2020 em comparação com as ações mais negociadas nos EUA

PosiçãoEmpresaCódigoVolume em junho em US$
1AppleAAPLUS$ 12.679 bi
2BoeingBAUS$ 12.499 bi
3TeslaTSLAUS$ 11.130 bi
4AmazonAMZNUS$ 10.364 bi
5MicrosoftMSFTUS$ 6.643 bi
6FacebookFBUS$ 5.680 bi
7B3US$ 5.598 bi
8NvidiaNVDAUS$ 3.997 bi
9ZoomZMUS$ 3.150 bi
10Unites AirlinesUALUS$ 3.048 bi

Fonte: Economatica

Volume de negociação médio anual de 2020 em comparação com as principais ADR’s

PosiçãoEmpresaCódigoVolume no ano em US$
1B3US$ 5.318 bi
2ValeVALEUS$ 289,6 mi
3PetrobrasPBRUS$ 271,6 mi
4ItauUnibancoITUBUS$ 186,3 mi
5BradescoBBDUS$ 102,1 mi
6Ambev S/AABEVUS$ 97,1 mi
7PetrobrasPBR.AUS$ 81,9 mi
8Xp Inc.XPUS$ 53,7 mi
9GerdauGGBUS$ 37,6 mi
10Azul S.A.AZULUS$ 31,6 mi

Fonte: Economatica

Evolução do volume de negociação médio diário anual da B3 em US$

AnoVolume
20103.213
20113.397
20123.189
20133.073
20142.730
20151.849
20161.897
20172.413
20182.993
20193.858
20205.318

Fonte: Economatica

Volume de negociação médio diário dos seis primeiros meses do ano

MêsVolume
JaneiroUS$ 5.090 bi
FevereiroUS$ 6.002 bi
MarçoUS$ 6.297 bi
AbrilUS$ 4.598 bi
MaioUS$ 4.345 bi
JunhoUS$ 5.598 BI

Fonte: Economatica

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos