EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
Delay: 15 min
Mercado

União Europeia aprova socorro de 6 bilhões de euros para Lufthansa

Modelo aprovado na Europa pode servir de parâmetro para outros países, inclusive o Brasil

Carsten Spohr, CEO da Lufthansa
Carsten Spohr, CEo da Lufthansa: executivos terão bônus suspensos até a empresa devolver pelo menos 75% da ajuda do governo alemão. (Ina Fassbender/ AFP)
  • Governo alemão assumirá 20% da empresa por 300 milhões de euros, além de outros dois aportes que somam 5,7 bilhões de euros
  • Acordo impõe travas para que a Lufthansa não aproveite o socorro para expandir seus negócios
  • Rival Ryanair tenta derrubar na Justiça a ajuda aprovada pela UE

(Aoife White, WP/ Bloomberg) – A companhia aérea alemã Lufthansa obteve aprovação da União Europeia para a recapitalização por parte do governo da Alemanha, no valor de 6 bilhões de euros (US $ 6,7 bilhões), que a rival irlandesa Ryanair Holdings tenta derrubar na Justiça.

A Comissão Européia disse em comunicado divulgado nesta quinta-feira (25) que o plano da Alemanha de assumir uma participação de 20% na maior companhia aérea da Europa está alinhado com as regras dos auxílios estatais e impediria o colapso da empresa. A aprovação da UE cobre o plano do governo alemão de pagar 300 milhões de euros por uma participação de 20% e realizar duas chamadas participações silenciosas de 4,7 bilhões de euros e 1 bilhão de euros no capital da empresa.

A decisão “vem acompanhada de restrições, inclusive para garantir que o Estado seja suficientemente remunerado”, disse a comissária da Concorrência da UE, Margrethe Vestager, em comunicado por e-mail. “A Lufthansa comprometeu-se a disponibilizar slots e ativos adicionais nos aeroportos centrais de Frankfurt e Munique, onde a Lufthansa tem um poder de mercado significativo. Isso dá às transportadoras concorrentes a chance de entrar nesses mercados”.

O socorro da Alemanha à Lufthansa já enfrentou resistência do conselho de supervisão da companhia aérea, que reclamou da demanda da UE por 24 slots por dia nos aeroportos de Frankfurt e Munique quando a demanda de tráfego aéreo retornar. A UE buscou os cortes para compensar a enorme vantagem que o subsídio estatal dará à Lufthansa sobre os rivais. A entrega de slots deve gerar mais concorrência.

Ryanair vai à Justiça para impedir auxílio estatal

Essas medidas não vão longe o suficiente para a Ryanair, que pedirá a anulação da aprovação da UE, disse o diretor jurídico Juliusz Komorek. A luta legal se soma a várias outras  contestações judiciais da Ryanair a auxílios estatais às companhias aéreas.

A Ryanair está buscando separadamente uma investigação do cartel da UE sobre supostas discussões entre a Lufthansa e outras companhias aéreas para evitar uma guerra de preços na Itália.

“Não há absolutamente nenhuma razão pela qual a Lufthansa, que se beneficia do sistema de suporte de folha de pagamento alemão, possa exigir 9 bilhões de euros”, disse ele a repórteres em uma vídeo chamada. “Não precisa. Precisa disso como um baú de guerra.”

Lufthansa será banida de dividendos e recompra de ações até reembolsar auxílio

O plano de resgate alemão superou um grande obstáculo quando o maior investidor da companhia aérea disse que votaria a favor do pacote de resgate em uma reunião especial de acionistas ainda nesta quinta-feira. Ele havia criticado anteriormente um grande desconto que estava sendo concedido ao governo alemão pela participação, e manteve os votos para parar por si só a venda das ações.

A aprovação da UE vem com condições rigorosas para garantir que o auxílio seja reembolsado rapidamente e a Lufthansa não use o financiamento dos contribuintes para expandir seus negócios.

A Lufthansa será banida de dividendos e recompras de ações até que o auxílio seja reembolsado. Os gerentes não podem receber pagamentos de bônus nem podem comprar mais de 10% dos rivais até que pelo menos 75% da recapitalização seja resgatada. As medidas visam incentivar a Lufthansa a recomprar a participação do Estado e participações silenciosas.

A decisão da UE não cobre uma garantia de empréstimo estatal de 3 bilhões de euros que a UE diz que administrará separadamente.

Os reguladores disseram que o auxílio “não excede o mínimo necessário para garantir a viabilidade da companhia aérea”.

Vestager disse na semana passada que suas autoridades questionaram o governo alemão por comentários do diretor executivo da Lufthansa de que a ajuda era mais do que necessária. A UE não pode permitir que os governos ofereçam às empresas mais ajuda financeira do que precisam.

A Lufthansa pretende resgatar o empréstimo e a recapitalização até 2026, disse a UE.

Invista com o apoio de assessores especializados. Cadastre-se na Ágora Investimentos
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
Delay: 15 min

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos