EURO R$ 6,26 +0,49% DÓLAR R$ 5,34 +0,00% ITUB4 R$ 28,31 -1,01% MGLU3 R$ 15,63 -1,64% ABEV3 R$ 15,84 -0,19% GGBR4 R$ 26,62 -0,96% BBDC4 R$ 20,26 -2,08% IBOVESPA 113.282,67 pts -0,69% VALE3 R$ 77,69 -1,17% PETR4 R$ 26,90 +0,04%
EURO R$ 6,26 +0,49% DÓLAR R$ 5,34 +0,00% ITUB4 R$ 28,31 -1,01% MGLU3 R$ 15,63 -1,64% ABEV3 R$ 15,84 -0,19% GGBR4 R$ 26,62 -0,96% BBDC4 R$ 20,26 -2,08% IBOVESPA 113.282,67 pts -0,69% VALE3 R$ 77,69 -1,17% PETR4 R$ 26,90 +0,04%
Delay: 15 min
Mercado

Os fundos de ações que driblaram a crise e renderam mais de 100%

Alta dos fundos é expressiva, uma vez que, no mesmo período, o Ibovespa avançou 59,73%

Tela quadriculada com investidor ao fundo, números e seta em subida
(Foto: Pixabay)
  • Conforme levantamento da Economatica para o E-Investidor, os três fundos com melhor desempenho foram: Próprio Capital FIA (112,04%), Fator Sinergia FIA (106,63) e FIA Trígono Verbier (102,33%)
  • O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, teve alta de 59,73% no mesmo intervalo de tempo
  • Em um período difícil do mercado, o gestor do fundo campeão explica que sua estratégia foi manter o perfil 100% em bolsa, com diversificação sem alta concentração, e liquidez

Imagine fazer uma aplicação na bolsa de valores no auge da crise e ver seu capital dobrar um ano depois. Essa foi a realidade de seis fundos de ações que tiveram mais de 100% de rentabilidade acumulada em doze meses, com base no fechamento do último dia 31 de março.

Conforme levantamento da Economatica, os três fundos com melhor desempenho foram: Próprio Capital FIA (112,04%), Fator Sinergia FIA (106,63) e FIA Trígono Verbier (102,33%).

Completando a sequência de fundos com rentabilidade acima de 100%, aparecem o Sul America Selection FIA (101,72%), o Inter+ Ibovespa Ativo FIA (101,71%) e o Trígono Delphos Income FIC FIA (101,00%).

Para fim de comparação, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, teve alta de 59,73% no mesmo intervalo de tempo.

“São retornos bem expressivos para a janela de um ano”, analisa Einar Rivero, gerente de Relação Institucional e Comercial da Economatica. “Mas não significa que esses fundos sempre tiveram essa rentabilidade elevadíssima. O que acontece é que a data de partida da amostra é muito marcante, que foi o fundo do poço do mercado”, completa.

Em março de 2020, mês em que a pandemia foi oficialmente confirmada no Brasil, investidores viveram dias de assombro. A B3 chegou a acionar o mecanismo de segurança circuit breaker por seis vezes em um intervalo de oito pregões. No dia 23 de março, o Ibovespa atingiu o “fundo do poço”, aos 63.569,62 pontos. No acumulado daquele mês, a queda do índice foi de 29,90%, aos 73.019,76 pontos.

Para o gerente da Economatica, o tamanho do patrimônio dos fundos pode ter facilitado a gestão dos ativos durante a crise. “Quanto maior o fundo, mais difícil é manipular os ativos. Quanto menor, há mais facilidade de fazer uma troca de carteira ou de posição”, diz Rivero.

O Próprio Capital FIA, vencedor em retorno no período, tinha patrimônio acumulado de R$ 79,330 milhões no último dia 31 de março. Os fundos que ocupam o segundo e o terceiro lugar no ranking tinham, na mesma data, R$ 154.598 milhões e R$ 96,549 milhões de patrimônio, respectivamente.

Entre os fundos com patrimônio acima de R$ 1 bilhão, o que tem melhor retorno aparece na 23ª posição: o Moat Capital FIC FIA, com patrimônio de R$ 2,602 bilhões e rentabilidade de 75,89%.

Top 10 fundos com melhor retorno desde o início da crise

NomePatrimônio (em milhões)Retorno (%)
Próprio Capital FIA79,330112,04
Fator Sinergia FIA154,598106,63
FIA Trigono Verbier96,549102,33
Sul America Selection FIA350,485101,72
Inter+ Ibovespa Ativo FIA197,691101,71
Trigono Delphos Income FIC FIA66,477101,00
Trigono Flags 60 Small Caps FIC FIA146,34799,59
Tagus Fundamental FIA54,08295,92
Mapfre FIA Small25,77791,49
10ºItau Kinea Gama Fc FIA74,66491,41
Fonte: Economatica
* Dados de 31 de março de 2021

O que explica o sucesso do 1º colocado?

“É uma história de recuperação e superação nesses 12 meses”. As palavras definem a visão de Rafael Costa, gestor do fundo da Próprio Capital Gestão de Recursos. O produto, criado em julho de 2013, é o único fundo da gestora sediada em Florianópolis (SC).

Em um período difícil do mercado, o gestor do fundo campeão explica que sua estratégia foi manter o perfil 100% em bolsa, com diversificação sem alta concentração, e liquidez. “Raramente temos posição [em algum papel] que encosta em 10%. Se passar disso, procuramos reduzir porque concentrar, no nosso caso, traria mais risco”, diz Costa. O gestor optou por expandir a carteira, que chegou a ter 25 ativos.

Para além do último ano, Rivero analisa os retornos do Próprio Capital FIA em intervalos de cinco e três anos, e a performance do fundo acompanha de perto o Ibovespa (ver gráfico abaixo). “É uma carteira pulverizada. Tem muitas posições, e elas estão sempre praticamente abaixo de 5%”, diz Rivero. “A maior posição deles está no setor de bancos, em dezembro. Depois vem incorporados, eletrodomésticos”, completa.

Fonte: Economatica

Sobre a diversificação dos ativos, Costa optou por ficar alocado apenas em ações, e deixando de fora ações com pouca liquidez e derivativos, como opções e futuros. No caso dos papéis, a ideia foi se posicionar em setores que estavam descontados e desacreditados na crise, uma vez que poderia oferecer um alto retorno nos períodos de recuperação.

“Procuramos olhar distorções de preço e valor. Parece batido, mas isso ainda é muito comum de acontecer, especialmente em momentos de estresse, como a pandemia”, conclui o gestor.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos