EURO R$ 5,54 -0,07% MGLU3 R$ 2,43 -0,40% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% VALE3 R$ 78,05 +5,19% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
EURO R$ 5,54 -0,07% MGLU3 R$ 2,43 -0,40% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% VALE3 R$ 78,05 +5,19% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
Delay: 15 min
Mercado

Confira a recomendação de 8 corretoras para WEG (WEGE3)

Ação tem o melhor desempenho do Ibovespa no ano, com alta de 134,73% no período

Confira a recomendação de 8 corretoras para WEG (WEGE3)
  • WEG (WEGE3) tem o melhor desempenho do Ibovespa no ano, com alta de 134,73%, a R$ 80,77
  • As recomendações das oito corretoras se dividem entre compra e neutra. As casas de investimentos enxergam a ação com bons olhos, mas divergem se ainda há boas oportunidades no papel

Enquanto algumas ações e próprio Ibovespa acumulam forte desvalorização no ano, os papéis da WEG (WEGE3) praticamente não sentiram os efeitos da pandemia da covid-19 e dispararam em 2020. Até o fechamento do mercado desta quinta-feira (15), o ativo registra alta de 134,73%, a R$ 80,77, e tem a melhor performance anual do IBOV.

Para efeito de comparação, das 77 ações que compõem o índice, apenas 22 têm variação positiva no agregado do ano. Delas, somente Magazine Luiza (MGLU3) alcançou o patamar de alta superior a 100%. Na outra ponta, IRB Brasil (IRBR3) lidera as baixas, com queda de 80,23% no período.

O bom desempenho da WEG (WEGE3) até aqui é reflexo dos resultados operacionais da empresa. No 2T20, a companhia reportou lucro líquido de R$ 514 milhões – alta de 32% em relação ao mesmo período do ano passado – e receita de R$ 4,063 bilhões, também com alta de 23%. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 732,2 mi, valor 36,3% maior em relação a 2019.

A divulgação de resultados do 3T20 está programada para o dia 21 de outubro, antes da abertura da B3, e o mercado espera mais um trimestre robusto. Neste cenário, o E-Investidor consultou oito corretoras para saber se as ações continuam atrativas.

Sem nenhuma sugestão de venda, as recomendações se dividem entre compra e neutra. Todas as casas de investimentos concordam que a valorização do ativo tem fundamentos, mas divergem se ainda há boas oportunidades no papel para quem não tem o ativo no portfólio. “Quem está dentro pode continuar surfando nesta tendência de alta. Quem está pensando em comprar, porém, pode chegar atrasado na festa”, diz José Falcão, especialista em renda variável da Easynvest.

Confira as recomendações para a ação da WEG (WEGE3).

Igor Cavaca, analista de renda variável da Warren

  • Recomendação: Compra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “A empresa apresentou desempenho bem sólido no trimestre anterior, com resultados acima do esperado, mesmo com o evento da pandemia. A demanda por equipamentos de ciclo curto se recuperou rapidamente, enquanto os equipamentos de ciclo longo permanecerem mais resilientes.

A desvalorização cambial também tem impactado as receitas de forma bem positiva e a manutenção de políticas monetárias e fiscais mais expansionistas tende a manter o setor aquecido pelo menos pelos próximos dois anos, com continuidade dos movimentos observados no período anterior.

Além disso, a estratégia de crescimento da empresa prioriza investimento no setor de tecnologia e na criação de novos negócios correlatos à atividade principal, movimento que permite maior diversificação da atividade com enfoque em um dos setores que mais cresceu nos últimos 10 anos”.

José Falcão, especialista em renda variável da Easynvest

  • Recomendação: Neutra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “Quando olhamos o preço de WEG e o seu padrão gráfico atual, entendemos que a ação já está com um preço “esticado” [caro] e a ação já obteve um desempenho muito acima da média do mercado. Ou seja, quem está dentro, pode continuar surfando esta bonita tendência de alta, mas quem está pensando em comprar, pode estar chegar atrasado na festa”.

Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos

  • Recomendação: Compra
  • Preço-alvo: R$ 85

Justificativa: “Sustentamos nossa recomendação em Weg, que possui como principais destaques: expansão contínua no cenário externo, através de acordos locais ou M&A; ganho contínuo de market share; retomada da economia brasileira e posicionamento de liderança como fornecedor no segmento de GTD (Geração, Transmissão e Distribuição de Energia).

Além disso, a companhia não reduziu seu ritmo de investimentos durante a recente crise, gerando uma vantagem competitiva em relação aos players locais. A empresa também se beneficia de uma expansão na sua margem Ebitda em função dos ganhos de eficiência oriundos da adoção de práticas da Indústria 4.0”.

Alexandre de M. Marques Filho, da Elite Investimentos

  • Recomendação: Neutra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “O papel da companhia registrou forte valorização nos últimos tempos, uma alta de 27% somente nos últimos 30 dias e quase 240% em 52 semanas. Suas ações se tornaram caras e vêm sendo negociadas a múltiplos elevados.

A variável preço atual define a nossa recomendação e não a qualidade da companhia: A qualidade do management da WEG e a forte resiliência de seus resultados certamente nos fariam recomendar a compra de suas ações. Porém, a este nível atual de preços, nossa recomendação para os papéis da WEG é de manutenção aos atuais detentores das ações, não vislumbrando, ao menos por agora, um ponto de entrada para novos aportes nas ações da companhia”.

Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da Nova Futura Investimentos

  • Recomendação: Compra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “Colocamos as ações da WEG em nossa carteira recomendada para outubro por algumas questões: governança, endividamento e diversificação das plantas de produção, dos produtos e mercados. O papel tem um perfil bastante versátil, que permite que ele se beneficie em vários cenários para a economia local e internacional”.

Régis Chinchila, analista da Terra Investimentos

  • Recomendação: Neutra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “Após o forte desempenho das ações fica difícil recomendar uma entrada nesse momento, mesmo que o movimento de alta nas ações seja reflexo de uma excelente gestão da empresa e sua atuação diversificada”.

Bruno Arruda, gestor da Gauss Capital

  • Recomendação: Compra
  • Preço-alvo: R$ 85

Justificativa: “Tendo em vista o período de resultados do terceiro trimestre, acreditamos que WEG será novamente um dos destaques com forte crescimento de Ebtida e lucro líquido. A resiliência dos setores industrial e de utilities é a base para este resultado.

Além do resultado como trigger para o curto prazo, também vemos a empresa como um investimento de longo prazo. Sendo uma das companhias líderes na questão de ESG no Brasil, a WEG também deve se beneficiar da forte tendência global de mudança para a energia limpa e fontes renováveis”.

Christian Lupinacci, head de análise do banco digital Modalmais

  • Recomendação: Neutra
  • Preço-alvo:

Justificativa: “Acho a empresa excepcional, mas está negociando a um preço muito alto: 10x sales e 85x lucros é muito caro  para uma empresa como a WEG”.

As casas de investimentos enxergam a ação com bons olhos, mas divergem se ainda há boas oportunidades no papel

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos