DÓLAR R$ 5,69 +0,11% EURO R$ 6,78 +0,26% ITUB4 R$ 26,93 +1,09% MGLU3 R$ 21,76 +0,42% BBDC4 R$ 25,39 +0,75% PETR4 R$ 23,85 +0,85% ABEV3 R$ 15,50 +0,91% IBOVESPA 118.547,56 pts +0,75% GGBR4 R$ 31,01 -0,35% VALE3 R$ 103,47 +0,46%
DÓLAR R$ 5,69 +0,11% EURO R$ 6,78 +0,26% ITUB4 R$ 26,93 +1,09% MGLU3 R$ 21,76 +0,42% BBDC4 R$ 25,39 +0,75% PETR4 R$ 23,85 +0,85% ABEV3 R$ 15,50 +0,91% IBOVESPA 118.547,56 pts +0,75% GGBR4 R$ 31,01 -0,35% VALE3 R$ 103,47 +0,46%
Delay: 15 min
Áudio

Por que o Banco Central elevou a taxa Selic

O Minuto E-Investidor está no YouTube e também na Rádio Eldorado FM 107,3

O Comitê de Política Monetária do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros para 2,75% ao ano.

O Copom aumentou a Taxa Selic em 0,75 ponto percentual de uma tacada só.

Essa foi a primeira alta desde julho de 2015.

O esforço, porém, faz todo sentido: a inflação está subindo com muita rapidez.

Para se ter uma ideia, o teto da meta do IPCA, que é a inflação oficial do Brasil, é 5,25% ao ano.

Em fevereiro de 2021, no período acumulado de 12 meses, o IPCA chegou a 5,20%.

Para evitar uma disparada da inflação, o Banco Central usa a taxa de juros para fazer esse controle.

É uma tentativa de tirar o dinheiro do consumo e deixá-lo na poupança, rendendo.

Um efeito negativo pode ser a redução dos investimentos, o que reduz a criação de empregos.

Mas, em política econômica, é preciso fazer escolhas. E depois de quase 6 anos, era preciso fazer alguma coisa para segurar a inflação.

Eu sou o Márcio Kroehn, editor-chefe do Portal E-Investidor, e esse foi o Minuto E-Investidor de hoje.

Até o próximo.

Conteúdos e análises exclusivas para ajudar você a investir. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos