EURO R$ 6,19 -0,20% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% PETR4 R$ 24,93 -5,36% VALE3 R$ 86,15 -2,22%
EURO R$ 6,19 -0,20% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% PETR4 R$ 24,93 -5,36% VALE3 R$ 86,15 -2,22%
Delay: 15 min

Como controlar as emoções ao investir

Marcelo Biasoli é executivo do mercado financeiro com experiência em liderar áreas de Inovação, Estratégia, Desenvolvimento de Negócios e Marketing. Também é coach com conhecimento e paixão pelo desenvolvimento humano e neurociência aplicada aos negócios, combinando as competências de future thinking, criatividade e intraempreendedorismo para impulsionar investimentos e acelerar negócios.

Escreve mensalmente, às quartas-feiras

Marcelo Biasoli

Os investimentos que podem influenciar o rumo do nosso País

Por se tratar de um conceito recente, existe uma certa confusão com esse tipo de investimento. Entenda

Mão segura moedas apoiadas numa superfície escura
Diversificar os investimentos proporciona mais segurança e ajuda o investidor a entender o mercado de forma abrangente. (Foto: Olivier Le Moal/Shutterstock)
  • Por se tratar de um conceito recente, existe uma certa confusão entre os investimentos ESG e os investimentos de impacto
  • Os investimentos de impacto são determinados a gerar impacto social, ambiental e ao mesmo tempo obter retornos financeiros
  • Eles estão presentes em diversos países mundo afora e em diferentes classes de ativos, além de abranger resultados quantificáveis em projetos de empresas, institutos e governos

As transformações que vivemos nos negócios e na sociedade atualmente estão promovendo rupturas nos padrões e paradigmas existentes que serão a base para a construção da nova economia e da sociedade nas próximas décadas.

Vários assuntos surgiram e outros ganharam notoriedade nos últimos anos e um deles em particular pode influenciar essas mudanças. São os investimentos de impacto.

Eles são determinados a gerar impacto social, ambiental e ao mesmo tempo obter retornos financeiros. Estão presentes em diversos países mundo afora e em diferentes classes de ativos, além de abranger resultados quantificáveis em projetos de empresas, institutos e governos. É um fenômeno de crescimento exponencial que despertou o interesse de investidores, empresários e cidadãos, pois proporciona diversos estímulos e o aumento da eficácia para enfrentar as crises econômicas, sociais e ecológicas globais.

Por se tratar de um conceito recente, existe uma certa confusão com os investimentos ESG (sigla em inglês equivalente a ASG, em português, para ambiental, social e governança). Os investimentos ESG analisam as práticas ambientais, sociais e de governança das empresas, com medidas financeiras mais tradicionais.

Já os investimentos de impacto visam ajudar uma empresa a concluir um projeto, desenvolver um programa e fazer algo positivo para a sociedade ao mesmo tempo que buscam resultados para a cadeia de valor. Alguns exemplos de investimento de impacto são empresas que fazem atendimento com baixo custo na área da saúde e no segmento de educação oferecem programas de qualidade educacional com baixo valor de investimento por parte das famílias.

Em novembro de 2010, o JPMorgan, a Fundação Rockefeller e o Global Impact Investing Network (GIIN), publicaram um relatório afirmando que o investimento de impacto alcançaria entre US$ 400 bilhões e US$ 1 trilhão em ativos sob gestão até 2020.

Na época, essa previsão parecia ambiciosa, mas os números provam que a popularidade crescente dos investimentos de impacto tem ganhado cada vez mais novos adeptos e de forma acelerada. De acordo com o relatório do Global Impact Investing Network 2020, o mercado cresceu mais de 42%, de US$ 502 bilhões para US$ 715 bilhões em ativos sob gestão.

Em busca de permitir que seus investimentos façam a diferença no mundo, um número crescente de investidores encontrou na raiz do desenvolvimento humano e da sociedade, as motivações para esse tipo de investimento.

A missão é construir mercados melhores e mais competitivos, investindo em negócios com benefícios sociais potencialmente grandes como: melhores perspectivas para pessoas desfavorecidas e/ ou com impacto ambiental sustentável para os países. Essas iniciativas benéficas – sejam em educação de qualidade, energia eólica, ou acesso a saúde – são o “propósito” dos negócios. Outro fator motivador é o olhar no futuro e como as novas gerações dos Millenials e Z tendem a valorizar as marcas e projetos sustentáveis.

Leia também: Por que os Millennials vão mudar os mercados e os investimentos

No cenário brasileiro, a significativa desigualdade social que proporciona o desequilíbrio socioeconômico, também permite que empreendedores, fundos de Venture Capital e outros atores desenvolvam e financiem soluções inovadoras com o objetivo de preencher essas lacunas.

Um dos temas que mais tem chamado a atenção é a educação. Muitos especialistas entendem que o país não consegue atender a demanda do nível de qualificação exigido pelo mercado de trabalho. Prova disso é a estimativa que o Brasil terá a lacuna de 1 milhão de profissionais na área de tecnologia até 2030.

O governo investe cerca de 6% do PIB, mas em contrapartida o país encontra-se na posição número 57 no último ranking mundial divulgado do PISA. As oportunidades passam por combinar capital e inovação ao mirar os resultados de impacto para melhorar a qualidade do aprendizado, diminuir a taxa de abandono escolar e aumentar a taxa de escolarização.

Além disso, a biodiversidade ambiental do país e a importância da mudança climática no contexto global, cria um cenário de oportunidades para parcerias estratégicas entre empreendedores e investidores.

Em setembro de 2020, a Aspen Network of Development Entrepreneurs (ANDE) publicou um estudo chamado “Investimento de Impacto na América Latina”, que avaliou as tendências na região durante 2018-2019. Foram US$ 785 milhões de investimentos de impacto no Brasil, sendo os setores que receberam a maior quantidade de operações foram educação (23%), tecnologia e comunicação (13%) e agricultura (13%).

De acordo com Vanina Farber, economista e cientista política especializada em inovação social, empreendedorismo e responsabilidade social corporativa pelo IMD Business School, existem algumas características chave para se ter sucesso nos investimentos de impacto:

• O modelo de negócios deve ser transparente e permitir uma estimativa de impacto social a ser alcançado
• Deve-se ter uma solução não tradicional para o mercado que desbloqueie a inovação social
• Um caminho de médio prazo (3-5 anos) para a sustentabilidade financeira deve ser articulado de forma plausível. Isso deve capturar o potencial do mercado e fatores que podem afetar a receita crescente e as projeções de margem bruta
• Boas ideias se concretizam se combinadas com energia empreendedora e habilidades relevantes. Portanto, é fundamental para obter bons resultados nesses investimentos, ter um empreendedor ou de uma equipe empreendedora que tenha as qualidades empreendedoras combinada com as habilidades necessárias

Fato é que os investimentos de impacto serão um agente transformador importante do mercado e da sociedade ao mesmo tempo que irão proporcionar aos países em desenvolvimento acelerar suas iniciativas em educação, saúde e sustentabilidade ambiental para melhorarem as condições de competitividade no mercado e permitir as pessoas viverem um futuro melhor e repleto de oportunidades.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos