MGLU3 R$ 8,30 +2,98% DÓLAR R$ 5,63 +0,39% EURO R$ 6,35 -0,03% ITUB4 R$ 22,67 -0,61% BBDC4 R$ 20,33 -0,44% PETR4 R$ 28,91 +1,55% IBOVESPA 102.811,80 pts +0,57% GGBR4 R$ 25,91 +1,41% ABEV3 R$ 16,58 -0,66% VALE3 R$ 69,68 +1,52%
MGLU3 R$ 8,30 +2,98% DÓLAR R$ 5,63 +0,39% EURO R$ 6,35 -0,03% ITUB4 R$ 22,67 -0,61% BBDC4 R$ 20,33 -0,44% PETR4 R$ 28,91 +1,55% IBOVESPA 102.811,80 pts +0,57% GGBR4 R$ 25,91 +1,41% ABEV3 R$ 16,58 -0,66% VALE3 R$ 69,68 +1,52%
Delay: 15 min
Marco Saravalle, sócio-fundador da BM&C e da SaraInvest (Foto: Divulgação/SaraInves)

Marco Saravalle é analista CNPI-P e sócio-fundador da BM&C e da Sara Invest. Foi estrategista de Investimentos do Banco Safra, estrategista de Investimentos da XP Investimentos, Analista e co-gestor de fundos de investimentos na Fator Administração de Recursos e GrandPrix e analista de ações na Coinvalores e Socopa. Formado em Ciências Econômicas pela PUC-SP, Pós-graduado em Mercado de Capitais pela USP e Mestrando em Economia e Finanças pela FGV/EESP. Iniciou sua carreira no programa de Trainee do Citibank. Atualmente é Diretor Administrativo/Financeiro da Apimec Nacional, membro do comitê de
educação da CVM e presidente do Conselho da ONG de educação financeira,
Multiplicando Sonhos.

Escreve quinzenalmente, às segundas-feiras

Marco Saravalle

Por que a diversificação faz toda a diferença na sua carteira

Entenda a importância de diversificar o seu patrimônio para proteger os investimentos

É sempre importante ter na sua carteira de ações empresas que estão em diferentes setores Foto: Envato Elements
  • Hoje você vai entender como diversificar seus investimentos para não cair nas armadilhas ilusórias da Bolsa
  • É sempre importante ter na sua carteira de ações empresas que estão em diferentes setores. Imagine quem tinha apenas ações do segmento imobiliário ou bancário na recessão de 2008
  • Esse é o chamado: não aposte todas as suas fichas em um só setor mesmo que ele esteja performando bem no momento. A bolsa tende a remunerar melhor quem pensa nestes detalhes

Quando vemos uma ação desempenhando muito bem, a primeira coisa que pensamos, no modo “senso comum”, é de ter só aquela ação na carteira. Imagina só quem comprou 100% da carteira de ações da Magazine Luiza (MGLU3) em 2015. Provavelmente estava muito feliz até o ano passado!

Quando colocamos todos os nossos ovos em uma única cesta, a chance de algum deles se quebrar ao locomovê-los é muito maior do que se você tivesse colocado e ovos em outras cestas. É tudo uma questão de probabilidade! A mesma coisa acontece com os seus investimentos se você não souber diversificar.

Hoje você vai entender como diversificar seus investimentos para não cair nas armadilhas ilusórias da Bolsa.

Entre setores

É sempre importante ter na sua carteira de ações empresas que estão em diferentes setores. Imagine quem tinha apenas ações do segmento imobiliário ou bancário na recessão de 2008. Provavelmente essa pessoa viu seus investimentos derreterem diante de seus olhos.

Por outro lado, imagine que uma pessoa possuía papéis de uma companhia que atua na comercialização de álcool em gel na bolsa de valores quando houve a pandemia de covid-19 e a demanda por álcool em gel foi às alturas. Esse é o chamado: não aposte todas as suas fichas em um só setor mesmo que ele esteja performando bem no momento. A bolsa tende a remunerar melhor quem pensa nestes detalhes.

“Dolarizando”

Que o dólar segue sendo a moeda mais forte do mundo, todo mundo já sabe, mas muita gente se esquece de apostar na moeda da maior economia do planeta. Fundos são uma opção para quem quer surfar nas oportunidades que o dólar oferece.

Além disso, é importante sempre ter ativos mundo afora: seja através de um ETF que reflete o principal índice da China ou até mesmo abrindo conta em uma corretora estrangeira (ou até por BDR na B3) e embarcando em companhias grandiosas como Apple, Microsoft, Amazon e Facebook.

Modalidades de investimentos: ETFs, títulos, FIIs, etc.

É importante sempre levar em consideração o quanto de risco você está disposto a correr, mas possuir uma reserva de emergência para caso ocorra algum evento inesperado na sua vida irá te livrar de ter que vender seus ativos de renda variável quando eles estiverem oscilando no negativo ou antes do esperado.

Tenha em mente que tudo pode acontecer: você pode precisar de um exame mais caro que o convênio não cobre, pode perder o emprego ou até mesmo precisar do dinheiro para uma outra aplicação financeira. Procure sempre ativos líquidos e seguros, como o Tesouro Selic.

Além disso, diversificando as suas modalidades de investimentos você pode alavancar os seus retornos. Uma alternativa para tal está no mercado de derivativos, como por exemplo as opções que, muitas vezes, podem até mesmo proteger seu patrimônio de oscilações negativas da bolsa. Porém, tenha uma estratégia muito bem estabelecida.

Criptoativos

As criptomoedas são uma ótima ferramenta para a diversificação. Com as crescentes evoluções tecnológicas, os criptoativos não parecem ser uma realidade do cotidiano tão distante. De todo modo, vale a pena pensar nesses ativos para o longo prazo, mas sem comprometer seu patrimônio.

De 1% a 2% da sua carteira de renda variável, é saudável pensar em ativos mais voláteis como são as criptos. Atualmente, é possível investir em criptomoedas sem precisar abrir uma conta em corretora de criptos através de ETF, como por exemplo o HASH11, que abrange diversas criptomoedas, além do famoso Bitcoin.

Por fim, lembre-se sempre de manter uma regularidade na análise de seus investimentos e procure por profissionais certificados para um melhor auxílio. Além disso, tenha paciência e veja o poder do longo prazo.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos