DÓLAR R$ 4,86 +0,78% EURO R$ 5,18 +0,11% MGLU3 R$ 3,77 +1,62% BBDC4 R$ 20,13 -1,37% ITUB4 R$ 25,71 -1,76% ABEV3 R$ 14,03 -0,71% PETR4 R$ 31,92 +1,01% IBOVESPA 110.405,47 pts -0,16% GGBR4 R$ 28,69 -1,41% VALE3 R$ 84,14 +0,12%
DÓLAR R$ 4,86 +0,78% EURO R$ 5,18 +0,11% MGLU3 R$ 3,77 +1,62% BBDC4 R$ 20,13 -1,37% ITUB4 R$ 25,71 -1,76% ABEV3 R$ 14,03 -0,71% PETR4 R$ 31,92 +1,01% IBOVESPA 110.405,47 pts -0,16% GGBR4 R$ 28,69 -1,41% VALE3 R$ 84,14 +0,12%
Delay: 15 min
Mercado

Confira a recomendação de 8 corretoras para Localiza (RENT3)

Casas de investimentos se dividem entre recomendações de compra e neutras

Confira a recomendação de 8 corretoras para Localiza (RENT3)
Entrada de uma das unidades da Localiza. Foto: Divulgação/Localiza
  • As locadoras de veículos Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) assinaram acordo de incorporação de ações, mediante a incorporação de ações da Unidas pela Localiza
  • A operação criará o maior player do País, uma empresa com frota de 471 mil veículos, receita líquida de mais de R$ 14 bilhões e valor estimado de cerca de R$ 50 bilhões
  • As corretoras reconhecem as vantagens que a fusão proporcionará, em termos de sinergias e ganhos de escala, mas fazem a ressalva de que o Cade pode fazer alguma objeção à transação

As locadoras de veículos Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) informaram nesta quarta-feira (23) que assinaram acordo de incorporação de ações, mediante a incorporação de ações da Unidas pela Localiza.

Ao combinarem seus negócios, as duas maiores empresas do setor criarão o maior player do País, uma companhia com frota de 471 mil veículos, receita líquida de mais de R$ 14 bilhões e valor estimado de cerca de R$ 50 bilhões. O tamanho será 4,3 vezes maior que o da Movida (MOVI3), que hoje detém 11% do mercado e se tornaria o segundo maior player.

A transação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e será feita com conversão para os acionistas da Unidas, na proporção de 0,44682360 por ação ordinária da Unidas para cada ação ordinária da Unidas. Como resultado, os acionistas da Localiza passarão a deter, em conjunto, 76,85000004% do capital social total e os acionistas da Unidas, 23,14999996%.

De acordo com as duas companhias, a incorporação proporcionará sinergias e aumento de eficiência nas operações e criará um player com escala global, capaz de fazer frente aos concorrentes que também tendem a se fortalecer, já que o mercado tem grande potencial de crescimento.

As corretoras consultadas pelo E-Investidor reconhecem as vantagens que a fusão proporcionará, em termos de sinergias e ganhos de escala, mas fazem a ressalva de que o Cade pode fazer alguma objeção à transação. A Guide inclusive optou por esperar que o órgão antitruste se pronuncie antes de revisar o preço-alvo da ação.

Confira as recomendações para a ação da Localiza (RENT3).

Victor Mizusaki e Ricardo França, analistas de ações da Ágora Investimentos

  • Recomendação: Compra
    Preço-alvo: R$ 53

Justificativa: “A “nova Localiza” será 4,3x maior que a Movida, o novo segundo maior player. A empresa resultante terá uma liderança de mercado solidificada em aluguel de carros (Localiza) e gestão de frotas (Unidas), com 316.000 e 154.000 carros, respectivamente.  A companhia vai comprar cerca de 320.000 carros por ano, ou cerca de 60% dos veículos vendidos para o setor de aluguel de automóveis.  A aprovação do CADE é o principal risco, mas o acordo de incorporação mitiga o risco de quebra do negócio. No entanto, Localiza e Unidas concordaram que mesmo que haja qualquer restrição, como a venda/fechamento de locadoras de veículos ou marca, a relação de troca de ações não mudará. A criação desta nova empresa com frota de 470 mil carros resultará em ganhos de sinergia na compra de carros novos e menores despesas gerais e administrativas, que em nossa opinião não se refletem no atual preço das ações.”

Pedro Serra, gerente do Research da Ativa Investimentos

  • Recomendação: Neutra
    Preço-alvo:

Justificativa: “Do ponto de vista operacional, o negócio é transformacional para ambas. A nova empresa passaria a deter uma parcela relevante da demanda total de veículos no Brasil, o que ampliaria o seu já forte poder de negociação com fornecedores. Além disso, a cia. contaria com a expertise da gestão da Unidas na operação GTF, líder no segmento, e que explora novos e promissores nichos nesse segmento, como o Agro e de Veículos Especiais. No segmento RAC, a nova empresa reinaria absoluta com 2/3 do share deste mercado. Já na ótica de valuation, a fusão dos negócios resultaria em uma empresa de EV/Ebitda aproximado de 19x, valor mais baixo do que os atuais múltiplos de Localiza e mais alto do que Unidas. Se considerado o EV/Ebitda médio da Localiza nos últimos dois anos, por sua vez, o negócio apresentaria pouco potencial de valorização. Entretanto, é fundamental levar em conta que a nova empresa provavelmente terá margens mais atrativas, ganhos em critérios ESG e estará mais bem posicionada para captar o valor de um setor que, em nossa visão, segue como muito promissor. Tais fatores podem gerar um prêmio sobre o valuation, tornando-o mais atrativo. No entanto, ainda que o negócio seja muito positivo, há de se levar em conta o alto grau de incerteza sobre sua concretização e seu futuro estratégico. A diretoria fala em atingir escala global, mas ainda não se sabe se isso significa que a cia. passará a ter uma atuação destacada em outros continentes. De maneira geral, vemos o negócio como positivo e reiteramos nossa visão de COMPRA para Unidas e NEUTRA para Localiza, dados os seus já esticados múltiplos.”

Luís Sales e Henrique Esteter, analistas da Guide Investimentos

  • Recomendação: Neutra
    Preço-alvo: R$ 52

Justificativa: “Vemos a fusão das companhias como positiva, já que fará com que ambas tenham maior escala em suas operações, maior poder de barganha no momento da compra com as montadoras e maior expertise nos segmentos Rent a Car (RAC), hoje liderado pela Localiza, e Gestão de Frotas (GTF), liderado pela Unidas, gerando maior exposição de ambas. A Movida, com a ação anunciada, acaba não sendo muito prejudicada. Por mais que passe a ter um competidor com grande peso no mercado, a empresa passa a ser a segunda maior locadora do país, tendo de competir agora com apenas um player, e não mais os dois de forma separada. Nós ainda não revisamos o preço-alvo de Localiza (RENT3), estamos esperando uma cor maior sobre a decisão do Cade sobre a transação.”

Regis Cardoso, analista de equity do Credit Suisse

  • Recomendação:outperform (compra)
    Preço-alvo: R$ 42,86

Justificativa: “A combinação das duas empresas pode render sinergias significativas com ganhos de escala nos custos corporativos, otimização da frota, aumento do poder de barganha, fechamento de lojas e franquias e melhor estrutura de capital. No entanto, em nossa opinião, esses benefícios poderiam ser parcialmente compensados ​​por possíveis medidas judiciais impostas pelo órgão antitruste. Em nossa opinião, se o negócio será de fato concluído ou não, depende mais do que apenas do risco de rejeição total pelo CADE, mas também desse equilíbrio entre remédios e sinergias. As empresas ainda não forneceram nenhuma estimativa para esses ganhos potenciais neste momento, mas não é muito difícil conceber cenários em que o upside para Localiza seria de 10% a 30% e para Unidas, de 25% a 50%.”

Bruno Amorim, Oscar Camilo e João Frizo, analistas do Goldman Sachs

  • Recomendação: compra
    Preço-alvo: R$ 54,40

Justificativa: “Os resultados do balanço do último trimestre superaram nossas expectativas. O controle de custos no Rent a Car e o desempenho de receita da frota turbinaram o Ebitda. Além disso, a empresa foi capaz de sustentar o preço dos carros vendidos em um ambiente desafiador. Reiteramos nossa visão otimista sobre a Localiza, pois acreditamos que o volume de locação de veículos em 2021 provavelmente será maior do que em 2019, mesmo em um cenário de PIB mais baixo.”

Lucas Marquiori, analista de equity do BTG Pactual

  • Recomendação: Compra
    Preço-alvo: R$ 51,74

Justificativa: “Há muitos aspectos positivos a destacar neste negócio que consideramos relevantes, dos quais destacamos: (i) o potencial de ganho de sinergia deve ser enorme – como todos sabemos, a indústria de aluguel de automóveis é intensiva em escala. Os benefícios devem surgir em diferentes frentes: escala de compra de veículos, SG&A, rede de carros usados ​​e assim por diante; (ii) oferece à Localiza uma parceria de longa data com a Enterprise, que deverá entrar em vigor após a conclusão do negócio. O principal risco para o negócio, a nosso ver, é a aprovação antitruste, uma vez que ambas as empresas apresentam uma sobreposição relevante, principalmente no RAC (Rent A Car).”

Igor Cavaca, analista de renda variável da Warren

  • Recomendação: Compra
    Preço-alvo:

Justificativa: “O setor de locação de veículos sofreu bastante no 1º semestre, em razão dos efeitos da pandemia de covid-19, que afetou diretamente a movimentação de pessoas. Mesmo com esse cenário, a empresa reportou lucro e conseguiu baixo impacto sobre as margens operacionais. Além disso, comunicou a fusão com a Unidas, o que possibilita uma melhora nas margens com ganhos potenciais de sinergia na compra de carros novos, gestão de frotas e custos com a estrutura administrativa. Acreditamos que o setor possa ter recomposição de parte das receitas perdidas no semestre até o final do ano, melhorando os potenciais financeiros.”

Pedro Bruno e Lucas Laghi, da equipe de research do Santander

  • Recomendação: compra
    Preço-alvo:

Justificativa: “Saudamos o anúncio, pois: (i) estimamos cerca de R$ 4,6 bilhões em sinergias potenciais para a nova Localiza (R$ 4,60/ação após diluição, ou ~9% do valor de mercado); e (ii) a proposta implica ágio de ~13% para Unidas em relação à Localiza utilizando os preços de fechamento de 22 de setembro (~9% sobre o ratio, mais ~4% na forma de dividendos). Reiteramos a recomendação de Compra em todo o setor de aluguel de automóveis e vemos uma assimetria positiva para LCAM3 em relação a RENT3 nesse momento.”

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos