EURO R$ 5,95 +0,46% MGLU3 R$ 20,83 -0,67% DÓLAR R$ 4,98 +0,35% ITUB4 R$ 32,41 +1,19% ABEV3 R$ 18,20 -0,49% VALE3 R$ 113,93 +2,27% BBDC4 R$ 27,40 +0,88% PETR4 R$ 29,43 +1,13% IBOVESPA 129.684,77 pts +0,71% GGBR4 R$ 29,94 +0,47%
EURO R$ 5,95 +0,46% MGLU3 R$ 20,83 -0,67% DÓLAR R$ 4,98 +0,35% ITUB4 R$ 32,41 +1,19% ABEV3 R$ 18,20 -0,49% VALE3 R$ 113,93 +2,27% BBDC4 R$ 27,40 +0,88% PETR4 R$ 29,43 +1,13% IBOVESPA 129.684,77 pts +0,71% GGBR4 R$ 29,94 +0,47%
Delay: 15 min
Educação Financeira

Glossário da bolsa de valores: conheça 32 dos termos mais usados

Confira o significado de alguns dos termos mais comuns quando se trata de investimentos

bolsa de valores
(Foto: Austin Distel/Unsplash)
  • O E-Investidor traz um glossário do mercado financeiro para você
  • Conheça os 32 termos principais no mundo dos investimentos

(Mellanie Novais, Especial para o E-Investidor) – Ao começar a investir, é comum se deparar com um universo completamente novo, cheio de especificações e termos nunca vistos. Para ajudar nesse processo e deixar as coisas mais claras, facilitando o entendimento na hora de aplicar o dinheiro na bolsa de valores, o E-Investidor trouxe um glossário do mercado financeiro para você. Confira!

32 termos principais no mundo dos investimentos

Aproveite para anotar o que ainda não conhece e reforçar seu entendimento sobre algumas dessas expressões.

After market

O after market corresponde a um período excedente ao horário normal da bolsa de valores, tratando-se de um pequeno “tempo extra” que investidores ganham para realizar as últimas operações após o horário de funcionamento da bolsa.

Alavancagem

A alavancagem é uma estratégia utilizada por investidores para potencializar rendimentos de curto prazo, como o day trade. Nesse processo, é preciso operar com um capital maior do que o patrimônio, o que é feito com o objetivo de tentar potencializar (ou alavancar) o retorno financeiro das operações na bolsa de valores.

Análise técnica e fundamentalista

A análise técnica é aquela que tem como base a análise de gráficos, a fim de identificar possíveis padrões de queda ou de alta de determinados ativos. Já a análise fundamentalista consiste em observar a empresa e o mercado em que ela está inserida para entender suas precificações. Vale lembrar que ambas são realizadas para ajudar na tomada de decisões de compra e de venda de ativos.

Ações

As ações são pequenas frações do capital social de uma companhia. Quando um investidor compra ações de determinada empresa, é como se estivesse adquirindo uma parcela da instituição, podendo ser maior ou menor, o que varia de acordo com o montante de ações adquiridas pelo investidor.

Investidor olha para cotações na Bolsa de Valores de São Paulo.
Ações são pequenas parcelas de uma companhia e sofrem variações de precificação conforme cada empresa (Foto: Werther Santana/Estadão)

Ação ordinária

As ações ordinárias (ON) são representadas pelo dígito 3 ao fim do código, como é o caso das ações PETR3, da Petrobras. Sua principal característica é o fato de darem aos acionista os direitos de participação na empresa, a qual pode ser majoritária ou minoritária, proporcional à quantidade de ações adquiridas. Ainda, ao investir em ações ordinárias da bolsa de valores, o investidor pode ter participação ativa com direito a voto durante assembleias da companhia.

Ação preferencial

As ações preferenciais (PN) são representadas pelo dígito 4 ao fim do código, como é o caso das ações PETR4, da Petrobras. Como o nome sugere, dão ao investidor a preferência na hora de receber os dividendos de suas aplicações. Mas, diferentemente das ações ordinárias, não dão direito a influência nas decisões da companhia.

Leia também: PETR4: como funciona e o que observar na hora de investir?

Alíquota

A alíquota é um percentual aplicado para calcular o valor de algum imposto, como o Imposto de Renda ou o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços), que tem alíquotas preestabelecidas para cada tipo de produto ou serviço. No caso dos investimentos, cada tipo também conta como uma alíquota predefinida.

Ativo e passivo

Os ativos são bens, ações, direitos ou valores de posse de uma pessoa ou empresa, seja de custódia (momentaneamente sob posse da pessoa, mas que devem ser devolvidos), seja parte da carteira de investimentos. E os passivos correspondem a tudo o que pode ser um gasto, como hipotecas ou impostos a pagar.

Bear market

A expressão “bear market” (mercado do urso, em tradução livre) é utilizada por investidores da bolsa de valores quando há uma perspectiva de queda dos preços. Vale destacar que, quando o cenário é de alta, a expressão usada é bull market (mercado do touro, em tradução livre).

Blue chips

As ações de maior valor de mercado na bolsa de valores são chamadas de blue chips, o que normalmente está atrelado a marcas e modelos de negócios altamente consolidados. Consequentemente, essas ações apresentam maior consistência de retorno financeiro aos acionistas.

Circuit breaker

O circuit breaker é um mecanismo da bolsa de valores projetado para proteger os investidores em momentos que há alta na venda de determinados ativos, uma vez que esse processo gera queda brusca no preço na hora de realizar a negociação. Portanto, ele interrompe o pregão quando há alta volatilidade no mercado.

Commodities

As commodities podem ser divididas em soft e hard, tendo como principal característica o fato de serem pouco processadas e comporem a produção de produtos de maior valor agregado. Algumas das principais commodities são milho, dólar, agropecuária, café, petróleo e ouro — por esse motivo, são consideradas a base da economia global.

dólar_moeda
O dólar é uma das commodities mais negociadas na bolsa de valores, inclusive no mercado futuro (Fonte: Sharon McCutcheon/Unsplash)

Cotação

A cotação da bolsa de valores nada mais é do que o preço vigente dos ativos, o que é definido a partir dos níveis de oferta e de procura no mercado financeiro.

Custódia

O termo “custódia” corresponde à guarda e ao exercício de direitos sobre títulos e valores depositados em nome de determinado investidor da bolsa de valores.

Day trade

O day trade é uma estratégia de compra e venda de ativos em curtíssimo prazo, uma vez que as operações são feitas em no máximo 24 horas. Esse método tem o objetivo de aumentar os lucros do investidor a partir da oscilação de preço das ações.

Dividendos

Os dividendos correspondem à distribuição de parte dos lucros de uma empresa para os acionistas, não tendo um período predeterminado para ocorrer.

Grupamento (Inplit) e desdobramento (Split)

O grupamento (Inplit) se caracteriza pelo momento em que há diminuição no número de papéis e, consequentemente, ocorre alta no valor das ações. Já o desdobramento (Split) é caracterizado quando há aumento no número de ações e, por consequência, seu valor unitário fica mais baixo. Ambas são estratégias que visam à alteração do preço unitário das ações, mas sem alterar o capital social da empresa.

Home broker

O home broker é o principal meio de acesso à bolsa de valores, tratando-se de um sistema digital de uma corretora. Ele possibilita que o investidor emita as ordens de compra ou de venda de qualquer tipo de ativo.

Liquidez

O termo “liquidez” corresponde à rapidez com que um ativo pode ser convertido em dinheiro sem que perca seu valor original. Um exemplo de ativo de altíssima liquidez são as ações, uma vez que rapidamente um investidor consegue converter os títulos adquiridos em dinheiro.

Long & short

A estratégia long & short é feita da seguinte forma: o investidor aluga uma ação, vende esse ativo e, com o dinheiro, compra outros. Depois, espera esse título valorizar para poder vendê-lo e recomprar a ação alugada, a fim de devolvê-la.

Marcação a mercado

O termo “marcação a mercado” corresponde ao processo de atualização de um ativo para seu valor mais recente no mercado. Dessa forma, quando é aplicado em fundos de investimentos, implica que os valores das cotas obrigatoriamente reflitam as atuais precificações de todos os ativos que compõem aquele fundo.

Margem de garantia

A margem de garantia é um volume de capital exigido pelas corretoras para sustentar sua posição em determinados investimentos. Normalmente, esse tipo de fundo é exigido em casos de estratégias de alavancagem.

Mercado fracionário

O mercado fracionário é um espaço da bolsa de valores que permite que os acionistas negociem as ações sem restrição de lote mínimo. Isso porque, no geral, a compra e a venda de ações são realizadas em lotes; mas, nesse caso, o investidor pode comprar apenas uma fração de um lote, mesmo que corresponda a uma única ação.

Mercado futuro

No mercado futuro são negociados contratos de compra e venda de ativos por um preço estipulado para a liquidação em uma data futura. Dessa forma, investidores se comprometem a comprar ou vender uma quantidade de um ativo no prazo definido.

Leia também: Dólar futuro: o que é e como funciona? Vale a pena investir?

Mercados primário e secundário

O mercado primário é caracterizado pela compra de ações diretamente com a empresa que lançou os ativos. O mercado secundário é aquele em que os títulos são negociados entre os investidores, e não de forma direta com a companhia.

Pregão

Pregão é o nome dado à sessão de negociação de ativos na bolsa de valores.

Renda fixa

A renda fixa é uma classe de investimentos composta por aplicações que funcionam como um tipo de empréstimo. Assim, o investidor aplica parte de seu capital e recebe os juros (definidos previamente por uma taxa acordada) dessa aplicação. Dessa forma, trata-se de um investimento mais seguro, em que o investidor conhece antecipadamente qual será a rentabilidade com aquele ativo, desde que cumpra as determinações de data de vencimento.

Renda variável

A renda variável é uma classe de investimentos que agrupa as aplicações que não têm predefinição de retorno no momento da compra. Esses ativos costumam estar atrelados à lei de oferta e demanda, apresentando maiores riscos e maiores potenciais de ganho em comparação à renda fixa.

Small caps

As ações do tipo small caps apresentam baixo valor de mercado e baixo volume de negócios, porém demonstram alto potencial de valorização.

Stop loss e stop gain

As ferramentas de stop loss e stop gain são utilizadas para programar um valor de venda automática de uma ação na bolsa de valores. Com isso, quando a ação sofre valorização ou desvalorização e atinge tais pontos, a ordem de venda é emitida, o que possibilita melhor rentabilidade e automação do processo de ganhos do investidor.

Swing trade

A estratégia de swing trade é bastante semelhante à de day trade; a diferença é que nesse caso as ações são compradas e vendidas em um prazo que pode variar de dias a semanas. Esse período um pouco maior permite que sejam feitas análises técnicas e fundamentalistas antes de se realizar a venda dos ativos.

Volatilidade

A volatilidade na bolsa de valores corresponde à variação da cotação de determinado ativo em um período e possibilita que o investidor tenha acesso às informações de estabilidade ou instabilidade de um mercado ou ativo específico.

Outras siglas importantes para conhecer

Além dos termos anteriores, há algumas siglas que costumam aparecer quando se trata da bolsa de valores. Entre as mais comuns, podemos citar:

  • Bacen: Banco Central do Brasil
  • BM&F (B3) — Bolsa de Valores oficial do Brasil
  • CEI: Canal Eletrônico do Investidor
  • Copom: Comitê de Política Monetária
  • CVM: Comissão de Valores Mobiliários
  • FED: Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos
  • IOF: Imposto sobre Operações Financeiras
  • VAR: Value at Risk (método para avaliar o risco em operações financeiras)

Conteúdos e análises exclusivas para ajudar você a investir. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos