Publicidade

Educação Financeira

Como viver de renda e não precisar mais trabalhar?

Como viver de renda? Aprenda como fazer os melhores investimentos para viver com uma renda de até 5 mil por mês, sem trabalhar!

Como viver de renda e não precisar mais trabalhar?
Apesar de ser uma realidade de poucos, é possível viver de renda sem ter milhões no bolso. Foto: Envato Elements
  • Apesar de ser uma realidade de poucos, é possível viver de renda sem ter milhões no bolso. No entanto, o caminho para essa independência exige planejamento e paciência
  • Segundo Regina Prataviera, sócia da HCI invest, para começar a planejar essa independência é preciso definir três pontos: o valor da renda desejada, quando pretende começar a utilizar a renda e, por último, por quanto tempo a renda será utilizada
  • Segundo os analistas, na fase de composição de patrimônio os investidores podem arriscar mais na tentativa de tentar acelerar o valor desejado

Como viver de renda? Já pensou como seria se você ganhasse dinheiro sem precisar trabalhar? Porém, para muitos essa ideia parece apenas um sonho distante, completamente fora da realidade. Será que é possível viver de renda mesmo sem ser milionário?

Veja o que especialistas ouvidos pelo E-investidor dizem sobre como conseguir viver de renda.

O que significa viver de renda?

“Viver de renda” significa ter “independência financeira”,  acontece quando a renda passiva – os rendimentos dos investimentos – gera recursos suficientes para pagar os custos de vida, segundo Fernanda Lancellotti, sócia e head da relação com investidores da Santa Fé Investimentos.

Ao atingir essa independência, o investidor não precisa mais de um emprego para se manter, por isso a ideia é “faça o dinheiro trabalhar por você”.

Como viver de renda e não trabalhar mais?

Como viver de renda? É necessário planejar a independência financeira, analisando três pontos principais: o valor da renda desejada, quando começar a utilizá-la e por quanto tempo dispor dela, afirma Regina Prataviera, sócia da HCI invest.

Publicidade

Conteúdos e análises exclusivas para ajudar você a investir. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Para atingir esse objetivo, muitos recorrem a sorteios e loterias na busca do primeiro milhão para viver da renda. No entanto, em finanças pessoais não é possível contar com a sorte. Apesar de ser uma realidade de poucos, é possível viver de renda sem ter milhões no bolso.

Zogbi, da Rico, aconselha que, em um primeiro momento, os investidores pensem em compor o patrimônio.

Quanto é preciso investir para viver de renda?

“Não é necessário renda mínima ou valor mínimo de aporte. Tudo depende do prazo que o investidor tem para fazer a acumulação do patrimônio e da renda que ele planeja obter”, diz Prataviera.

Há uma série de fatores que precisam ser levados em conta para saber o investimento necessário para viver de renda, como o aporte inicial que o investidor é capaz de realizar, os aportes mensais, a taxa de juros média e o tempo do investimento, explica Marx Gonçalves, analista da Nord Research.

“Considerando um investimento inicial de R$ 10 mil e aportes mensais de R$ 1,5 mil a uma taxa média de 0,71% ao mês nos Fundos Imobiliários (FIIs), o investidor levaria pouco mais de 16 anos para garantir a sua independência financeira – recebendo R$ 5 mil/mês de renda”, avalia Gonçalves.

Alguns ainda acreditam que é necessário acumular milhões para alcançar uma certa independência financeira.  Na avaliação de Gonçalves, o patrimônio necessário para obter independência financeira depende muito do valor mensal que cada investidor está buscando para a sua renda.

Como calcular o patrimônio necessário para viver de renda?

Para calcular o patrimônio necessário para viver de renda, basta definir a renda mensal desejada e multiplicar por 12 para obter a renda anual. Depois, o valor deve ser dividido por uma taxa de rentabilidade superior à inflação.

Publicidade

Supondo uma meta de rendimento mensal de R$ 2 mil por 30 anos, no Tesouro IPCA+, pagando + 4,6% ao ano, seria possível alcançar esse rendimento investindo 387 mil, calcula Paula Zogbi, analista de investimentos da Rico. Para obter R$ 3 mil/mês, o aporte no mesmo produto seria de 580 mil, e para R$ 5 mil/mês, o investimento se elevaria para R$ 965 mil.

Na renda variável, considerando a rentabilidade média que os Fundos Imobiliários estão pagando mensalmente, em torno de 0,71% ao mês livre de impostos, o investidor conseguiria viver com uma renda mensal próxima a R$ 5 mil com investimento total perto de R$ 700 mil, segundo cálculos de Gonçalves, da Nord Research.

O papel dos juros na composição do patrimônio para viver de renda

Segundo os analistas entrevistados pelo E-Investidor, os juros compostos são grandes aliados para quem pretende viver de renda. “Quanto mais juros compostos trabalhando a seu favor, maior a possibilidade de viver de renda”, diz Lancellotti , da Santa Fé Investimentos.

De acordo com Roberto Agi, head da Alta Vista Private, os juros compostos são importantes, porque quanto mais cedo o investidor poupar, mais os juros vão influenciar na velocidade que o patrimônio vai crescer.

“Os aportes são super importantes no começo quando o patrimônio é menor. Conforme o investidor faz os aportes, mais os juros compostos aceleram o crescimento”, diz Agi.

Na fase de composição de patrimônio, os investidores podem arriscar mais na tentativa de tentar acelerar o valor desejado. Mas, ao atingir o patrimônio necessário para viver de renda, devem adotar uma postura mais cautelosa e dar preferência aos ativos de menor risco.

Publicidade

“Quando o investidor começa a usar a renda, ele precisa ser mais conservador, porque ele vai retirar recursos e não vai ter tempo de recuperação caso ocorra alguma perda”, diz Prataviera, da HCI invest.

Quais são os melhores investimentos para viver de renda?

Os melhores investimentos para conseguir viver de renda são ações de empresas que distribuem dividendos, Fundos Imobiliários, investimento em alguns títulos de renda fixa que pagam juros semestrais, como o IPCA+ e outros, e até mesmo o investimento direto em imóveis.

“Os fundos imobiliários em sua maioria, por exemplo, distribuem dividendos todos os meses. Os ativos de renda fixa, principalmente de crédito privado, também têm a característica de pagar juros em períodos definidos, o que também representa uma forma de composição de renda periódica”, comenta Daniel de Paula, sócio-fundador da Nexgen Capital,

“As opções para quem foca exclusivamente em rendimentos mensais são os Fundos Imobiliários e o investimento direto em imóveis, já que os demais ativos costumam pagar rendimentos em um período mais espaçado de tempo”, diz Gonçalves.

Como viver de renda de acordo com o perfil do investidor?

A escolha do melhor investimento para viver de renda depende do perfil de risco do investidor, se é mais agressivo ou conservador.

Segundo Daniel de Paula, os mais agressivos preferem uma alocação maior em ações e fundos imobiliários na composição de portfólio, por enxergarem também maior potencial de crescimento do valor do ativo.

“Por outro lado, os investidores mais conservadores procuram ativos menos arriscados, principalmente aqueles atrelados à inflação. Além disso, de uma forma geral, a previdência complementar ajuda a composição de um portfólio voltado à renda do investidor”, avalia.

Publicidade

 

Web Stories

Ver tudo
<
>

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos