Publicidade

Investidor ESG

Fingir que é ESG não vai trazer resultado, diz CEO da Movida (MOVI3)

Renato Franklin participou do sexto episódio da websérie Investidor ESG

O convidado do sexto episódio do Investidor ESG é Renato Franklin, CEO da Movida (MOVI3), a primeira locadora brasileira de automóveis a ter um programa que neutraliza as emissões de CO2 das locações dos clientes.

Comprometida com a transição energética, com a meta de ser carbono zero até 2030, a Movida conta com uma frota de mil veículos elétricos e híbridos. A companhia também participou da Cúpula do Clima (COP-27) da Organização das Nações Unidas, realizada em novembro do ano passado no Egito, como um dos cases de sucesso no enfrentamento das mudanças climáticas.

“O Brasil tem tudo pra ser protagonista nessa agenda climática, tem ativos diferenciados no mundo e uma agenda de globalização que está se transformando no mundo”, afirma.

Publicidade

Conteúdos e análises exclusivas para ajudar você a investir. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Segundo ele, no passado a globalização buscava produtividade e eficiência. “Hoje essa globalização vai buscar consciência ambiental, responsabilidade social, segurança energética e escala”, destaca.

Franklin, que também é integrante do grupo Liderança com ImPacto, pontua que o Brasil ainda tem uma participação pequena no comércio mundial, porém esse diferencial de mostrar consciência ambiental e de fazer cumprir a legislação, pode colocar o País em uma posição bastante vantajosa no mundo. “Temos uma legislação boa, mas que precisa ser cumprida à risca”, destaca.

Na avaliação do executivo, adotar os critérios da agenda ESG é um caminho sem volta. “A empresa que não tiver uma agenda real ESG, não vai sobreviver. Lá atrás teve gente que fingiu que era digital e não sobreviveu. Fingir que é ESG não vai trazer resultado”, diz.

Franklin lembrou que a companhia dobrou de tamanho nos últimos dois anos, mas que isso só foi possível graças ao comprometimento com a sustentabilidade e porque acessou o mercado externo.

“Nenhuma locadora (de veículos) tinha emitido um bond internacional. Emitimos um sustainability liquid bond ESG, que cobra métrica de redução de emissão de carbono alinhado ao nosso compromisso de ser carbono neutro”, afirma.

Segundo ele, essa emissão viabilizou a entrada de 1 milhão de dólares no caixa da companhia. “A agenda ESG é a único jeito de você trazer novos clientes, novos colaboradores e novos investidores e até fornecedores que querem trabalhar com clientes que geram impacto positivo”, destaca.

Publicidade

Nesta página especial, separamos tudo o que você precisa saber sobre ESG. Vamos entender por que as companhias que atendem essa agenda devem ser as donas dos investimentos do futuro!

Web Stories

Ver tudo
<
>