ITUB4 R$ 24,34 -2,33% MGLU3 R$ 13,73 -3,50% DÓLAR R$ 5,60 +0,17% EURO R$ 6,51 +0,16% IBOVESPA 110.672,76 pts -3,28% BBDC4 R$ 20,98 -2,31% PETR4 R$ 28,01 -4,31% ABEV3 R$ 15,14 -3,14% GGBR4 R$ 27,83 -1,10% VALE3 R$ 79,00 -0,93%
ITUB4 R$ 24,34 -2,33% MGLU3 R$ 13,73 -3,50% DÓLAR R$ 5,60 +0,17% EURO R$ 6,51 +0,16% IBOVESPA 110.672,76 pts -3,28% BBDC4 R$ 20,98 -2,31% PETR4 R$ 28,01 -4,31% ABEV3 R$ 15,14 -3,14% GGBR4 R$ 27,83 -1,10% VALE3 R$ 79,00 -0,93%
Delay: 15 min
Mercado

Magazine Luiza (MGLU3) fará desdobramento de ações na proporção de 1 para 4

Veja a recomendação dos analistas para a ação MGLU3

Magazine Luiza
Magazine Luiza. Foto: Divulgação

O conselho de administração do Magazine Luiza (MGLU3)aprovou a proposta de desdobramento da totalidade de suas ações na proporção de uma ação para quatro ações, sem modificação do capital social.

A proposta será submetida à Assembleia Geral Extraordinária (AGE). Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa diz que a operação tem como principal objetivo conferir melhor patamar para a cotação das ações a fim de torná-las mais acessíveis aos investidores.

Ontem o papel fechou cotado em R$ 87,10. Existem atualmente 1.624.731.712 ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal. Após o desdobramento, o capital social da varejista permanecerá no montante de R$ 6.070.911.472,00.

Ativos ficam mais acessíveis

Quando uma empresa faz desdobramento de ações, o volume em reais que cada investidor tem daquele ativo continua o mesmo. Entretanto, a quantidade de papéis muda e, consequentemente, o preço pago por cada um deles.

“Se o investidor tinha R$ 50 mil de MGLU3 no passado, ele continuará com esses R$ 50 mil após o desdobramento”, afirma Lucas Carvalho, analista da Toro Investimentos. “No entanto, o número de ações desse investidor vai ser multiplicado por quatro e o preço de cada papel cai”, diz.

A intenção das companhias ao fazer um desdobramento de ações é tornar os ativos mais ‘baratos’ e mais acessíveis aos investidores. No caso da Magazine Luiza, o processo foi feito também em julho 2019, quando os papéis haviam ultrapassado o patamar dos R$ 260.

Na época, a proporção foi de um para oito, fechando em cerca de R$ 32 por cada ação após o desdobramento. “O papel subiu tudo de novo. Quando é uma ação boa, de uma empresa forte, como a Magalu, aumenta a atratividade e há grande  chance de os investidores comprarem assim que o desdobramento sair”, afirma Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus.

Recomendação de compra

Para Henrique Estéter, analista da Guide Investimentos, os papéis da Magazine Luiza e o setor varejo eletrônico estão entre as recomendações de compra da Casa. “Gostamos muito da empresa. Magalu é uma companhia referência no setor, apesar do patamar de preço estar um pouco esticado”, afirma.

Já a Toro tem recomendação neutra para os papéis. “A nossa recomendação de compra no setor é Via Varejo. A Magazine Luiza é uma excelente empresa, mas as ações estão caras”, afirma Carvalho. “Não vejo capacidade de tracionar os preços no longo prazo”, diz. Nesta sexta-feira (18), o MGLU3 registra alta de 86,85% no ano.

Essa também é a visão de José Cataldo, head de research da Ágora Investimentos. “Por ora, nossa visão também é neutra para Magazine Luiza. No setor, recomendamos Via Varejo (VVAR3) e Lojas Americanas (LAME4).”

*Com Estadão Conteúdo

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos