EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
Delay: 15 min
Educação Financeira

Como investir no exterior: passo a passo e formas de aplicar

Investimentos fora do Brasil são mais sofisticados, mas podem garantir rentabilidade interessante para o investidor

Wall Street, considerado principal pólo de investimentos no exterior
Wall Street é considerado o coração do sistema financeiro global (Foto: Pixabay)
  • Investimentos no exterior são recomendados para quem tem patrimônio sólido
  • Aplicações via fundos de investimento, ETFs, COE e BDR são algumas opções nesse sentido
  • Investidor precisa ficar atento com impostos cobrados

Apesar de ser algo ainda pouco explorado no Brasil, saber como investir no exterior pode ser uma boa opção para diversificar sua carteira e encontrar mais alternativas de lucro.

Quem deve aplicar em ações internacionais

Em sua maioria, as aplicações internacionais são recomendadas para investidores com um patrimônio sólido. São eles que buscam diversificar suas fontes de rentabilidade ou para quem tem o objetivo de morar ou estudar em outro país. 

Como investir no exterior morando no Brasil

Investir no exterior é algo que pode ser realizado por meio da B3 ou bancos e corretoras locais do país onde será investido.

Mas antes de realizar a aplicação por meio de instituições estrangeiras uma série de requisitos devem ser levados em consideração.

Requisitos para investimentos internacionais

  • Avalie se vale a pena contar com serviços em outro idioma;
  • Pense na dificuldade de se comunicar por conta do fuso horário, os custos de manter a conta;
  • Verifique as taxas cobradas nos investimentos e o IOF pago para o câmbio do real para moeda local;
  • Atente-se ao informe do Imposto de Renda

O informe do Imposto de Renda para investimentos internacionais é uma grande preocupação. Isso acontece porque todo brasileiro com mais de US$ 100 mil investidos fora do Brasil até o dia 31 de dezembro de cada ano-base deve declarar à Receita Federal esses bens. Além disso, há uma documentação que deve ser enviada ao Banco Central que serve como comprovante e certificado oficial dos bens no exterior.

Investir no exterior pela B3

Já para quem vai investir em ativos no exterior por meio da B3, o procedimento é o mesmo do de uma aplicação no mercado brasileiro. Como eles são realizados via corretoras ou bancos locais e não é necessário enviar o dinheiro para fora, os cuidados são os mesmos do que investir em qualquer outra aplicação do país.

Formas de investir no exterior

Fundos de investimento

Os fundos de investimento são uma das maneiras mais simples de investir no exterior, pois são fundos de renda fixa ou multimercados brasileiros que operam como qualquer outro, mas com a diferença que aplicam uma parte dos ativos em outro país.

Como investir

Os fundos destinados aos investidores de varejo podem aplicar até 20% dos ativos no exterior, desde que isso esteja em sua política de investimento. 

Já os fundos voltados para investidores qualificados, podem ser destinados até 40% do patrimônio. Além disso, existem alguns fundos que com autorização para aplicar 100% dos ativos no exterior, mas com a condição de indicar em seu nome “investimento no exterior”.

Taxas para investir no exterior

Dessa forma, as taxas são as mesmas que um fundo que investe apenas no Brasil e também não é necessário enviar dinheiro para fora.

Se forem ações, eles são tributados em 15% sobre o lucro ou seguindo a tabela do Imposto de Renda, com alíquotas de 22,5% a 15%, se forem renda fixa ou multimercados. Com isso, esses fundos se tornam muito simples e acessível para investimentos no exterior.

ETFs

Os Exchange Traded Funds (ETFs) são produtos negociados na B3 que reúnem um conjunto de ações em um só ativo. Ou seja, com ele é possível comprar cotas de um fundo como se fossem ações.

Como investir

Negociadas no pregão da B3, igual uma ação normal, os ETFs replicam a composição do Ibovespa, mas também é possível investir em fundos de índices que replicam o S&P 500, que apresenta as 500 maiores empresas listadas na Bolsa dos Estados Unidos.

Taxas para investir no exterior

Como a compra dos ETFs são feitas no país, compra e venda das cotas são tributadas da mesma forma que uma ação comum, com Imposto de Renda de 15% sobre lucro obtido. A única diferença é que, diferente das ações, não há isenção para vendas inferiores a R$ 20 mil por mês.

COE

O Certificado de Operações Estruturadas (COE) é um investimento que reúne tanto a renda fixa como renda variável em um só título.

Como investir

Ao comprá-lo de um banco, o título é investido em sua maioria em renda fixa, como CDB, LCI e LCA, e também uma parcela em renda variável, como ações nacionais, ações estrangeiras, índices de bolsas americanas, dólar, etc…

Taxas para investir no exterior

Também sendo comprada em instituições e bancos nacionais, o COE têm uma taxa de administração, como os fundos de investimentos, que normalmente varia de 0,5% a 2% ao ano. Além disso, são tributados pela mesma tabela do Imposto de Renda dos produtos de renda fixa, com alíquotas que variam de 22,5% a 15% sobre o lucro.

BDR

Os Brazilian Depositary Receipts (BDR) ou certificado de depósito de valores mobiliários são certificados que representam outro valor mobiliário emitido por companhias abertas estrangeiras. Com isso, ao comprar o BDR o investidor não investe diretamente nas ações da empresa e sim em títulos que representam essas ações no Brasil.

Como investir

Divididos em “patrocinados” e “não patrocinados”, existem cerca de 200 BDRs disponíveis para negociação na B3 e entre os certificados estão empresas como Google, Apple e EBay.

Os “patrocinados” são aqueles que a empresa emissora do certificado tem a iniciativa de contratar a instituição depositária e participa da emissão dos mesmos. Ou seja, é de interesse dela a presença no mercado brasileiro.

Já os “não patrocinados” são aqueles que a iniciativa de emissão dos certificados não é da empresa e sim da instituição depositária, com o objetivo de oferecer mais opções de investimento a seus clientes.

Taxas para investir no exterior

Como é negociado na Bolsa de Valores local, os custos envolvidos são semelhantes aos de uma operação com ações. O investidor paga uma taxa de corretagem, de custódia e emolumentos. A tributação pelo Imposto de Renda é de 15% sobre o lucro obtido nas negociações.

Conta em banco ou corretora no exterior

Ter uma conta em um banco ou corretora no exterior é a forma mais direta de investir de ter aplicações no exterior.

Como investir

Basta abrir uma conta em qualquer país, transferir seu dinheiro e aplicar em qualquer tipo de investimento oferecido pela instituição internacional.

Como mencionado acima, esse tipo de estratégia para investir no exterior traz mais considerações a serem ponderadas pelo investidor. 

Taxas para investir no exterior

Afinal, além das taxas do banco ou da corretora, que podem ser maiores do que no Brasil no mesmo produto, o investidor também vai gastar ao fazer o câmbio para moeda local do investimento. 

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
EURO R$ 6,13 +0,07% DÓLAR R$ 5,37 +0,00% MGLU3 R$ 81,39 -0,13% ITUB4 R$ 27,37 -0,26% BBDC4 R$ 22,70 +0,00% PETR4 R$ 23,34 +0,00% IBOVESPA 101.790,54 pts +1,34% ABEV3 R$ 14,30 +0,07% GGBR4 R$ 16,65 +0,60% VALE3 R$ 61,79 +0,00%
Delay: 15 min

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos